Milton Nascimento participa de concerto-homenagem com professores da UFMG

O cantor e compositor, que atualmente vive em Juiz de Fora, passou a última semana em BH ensaiando para o show desta segunda, no Teatro Bradesco

por Redação EM Cultura 26/09/2016 08:38

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Yasuyoshi Chiba/AFP
(foto: Yasuyoshi Chiba/AFP)
Em 2009, a Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) passou a oferecer habilitação em música popular brasileira. O professor Mauro Rodrigues, um dos idealizadores da cadeira, sonhava em implementá-la desde a década de 1990. Queria ampliar os horizontes dos alunos, até então restritos ao universo erudito.

Esta segunda-feria (26) será um dia especial para Mauro. Ele e os colegas professores vão homenagear um dos maiores nomes da MPB: Milton Nascimento. Todos – inclusive o convidado ilustre – subirão ao palco do Teatro Bradesco.

A “banda” reúne Mauro Rodrigues (flauta e diretor do espetáculo), Clara Sandroni (voz), Cléber Alves (saxofone), Cliff Korman (piano), Michel Maciel (violão), Pablo Souza (contrabaixo), Wilson Lopes (guitarra e violão) e Lincoln Cheid (bateria), esse último professor da Bituca – Universidade de Música Popular de Barbacena.

Clara Sandroni vai cantar Milagre dos peixes e Morro Velho. “Se tiver uma primeira fila de artistas, Milton está lá”, diz a professora, referindo-se ao lugar que o cantor e compositor ocupa na cultura brasileira.

INSTAGRAM Desde quarta-feira (21), Milton aparece no Instagram, todo feliz com seu violão, ensaiando para o show. Ele deve cantar as cinco últimas músicas – entre elas, Maria, Maria e Encontros e despedidas.

Idealizadora do show, a professora e pianista Celina Szrvinsk comemora a presença do cantor e compositor no espetáculo. “É ele quem está nos homenageando”, diz. Produtora da série Concertos Teatro Bradesco, dedicada à música erudita, ela prefere não fazer distinções rígidas entre clássico e popular. “Música boa é música boa. Clássico é aquilo que você quer ouvir muitas vezes. E Milton Nascimento é um clássico”, garante.

Há cinco anos o professor Wilson Lopes é responsável pela disciplina A música de Milton Nascimento. Guitarrista e violonista, ele toca com Bituca há 23 anos. “O lugar do Milton é a música mundial”, diz. Durante uma turnê nos Estados Unidos, conta ele, o cartaz de divulgação anunciava o brasileiro desta maneira: “O gigante que criou um gênero”.

“Milton é um gênero, é um estilo”, afirma Wilson. Os dois já se apresentaram em cerca de 40 países – Dinamarca, Angola e Japão, entre eles. Segundo o professor, “em países desenvolvidos” a música de Milton é melhor compreendida e suas composições mais valorizadas. “O Brasil tem o Milton como um grande cantor. Essa voz oculta o compositor”, explica.

Wilson afirma que esse prestígio internacional pode ser traduzido na homenagem feita ao brasileiro, em maio, pela Berklee College of Music, em Boston (EUA). Referência mundial, a instituição deu a Milton Nascimento o título de doutor honoris causa.

A UFMG também poderia, no futuro, celebrar a obra do compositor criado em Três Pontas com distinção semelhante, diz Wilson Lopes. Até lá, seus professores homenageiam Milton Nascimento com o que todos fazem de melhor: música.

HOMENAGEM A MILTON NASCIMENTO

Teatro Bradesco. Rua da Bahia, 2.244, Lourdes, (31) 3516-1360. Com professores da Escola de Música da UFMG e Milton Nascimento. Hoje (27), às 20h30. R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA