Pausa no trabalho: Cofice Coworking aposta em cafés quentes e gelados

Uma das opções, o Cold Citrus, leva suco de laranja

por Márcia Maria Cruz 23/06/2017 08:00
Fotos: Túlio Santos/EM/D.A PRESS
Sady Viana e Rodrigo Ludolf montaram o cofice para atrair clientes que transitam pelo Centro (foto: Fotos: Túlio Santos/EM/D.A PRESS)
Não é de hoje que o café faz parte da cultura gastronômica de Minas. Quem não se rende ao cafezinho passado na hora? Mas a tradição se renova, e Belo Horizonte vive o boom das bebidas especiais. Que tal café com suco de laranja, com lima, limão e gengibre ou com água tônica? Combinações com cafés gelados dão muito certo e, cada vez mais, conquistam os paladares exigentes.


Bebidas assim podem ser degustadas no Cofice Coworking, aberto há sete meses na Avenida Álvares Cabral, no Centro. A ideia de criar a casa nasceu da necessidade dos jovens Sady Viana, Rodrigo Ludolf e Matheus Sandinha. Quando o trio se tornou parceiro com o objetivo de empreender, ainda não tinha em mente o negócio que iria abrir. As reuniões de trabalho eram feitas em shoppings e cafés da cidade, mas os três sentiam que faltava estrutura, com wi-fi liberado, tomadas para notebooks e celulares, além de telão conectado ao projetor. Foi assim que surgiu a ideia de montar uma cafeteria que funcionasse como escritório e oferecesse bebidas especiais.

O ponto escolhido, na Avenida Álvares Cabral, fica em frente ao Terminal Conexão Aeroporto, fazendo com que o Cofice atraia tanto profissionais que passam pelo Centro quanto pessoas que pretendem fazer reunião, responder e-mails ou tomar um cafezinho acompanhado de guloseimas. A ideia deu tão certo que o trio abriu outra unidade na Avenida Raja Gabaglia. Agora, eles estudam adotar o processo de franqueamento, com possibilidade de levar a Cofice para São Paulo.

Para preparar cafés gelados, é usado o cold brew, um tipo de café extraído a frio. “Ele ainda é pouquíssimo conhecido no Brasil”, afirma Sady Viana. Responsável por algumas experimentações, Rodrigo Ludolf explica que a extração a frio leva cerca de 18 horas, resultando em bebida bastante suave. “O cold tem 30% menos cafeína”, observa.

Uma das atrações da casa é o cold citrus, feito com suco de laranja (R$ 10; 300 ml). Quem gosta de café quente encontra as opções expresso (R$ 4,50) e coado com prensa francesa (R$ 5). Entre os mais elaborados está o mocca cofice, capuccino com chocolate, chantilly e cacau (R$ 11; 150 ml).

PÃO DE QUEIJO No quesito acompanhamentos, a cafeteria não foge ao DNA mineiro. O bom e velho pão de queijo pode ter diferentes recheios: linguíça caseira e ervas finas (R$ 8) ou conservas de berinjela ou de abobrinha (R$ 6). Outra atração do cardápio são os sanduíches exclusivos, criados pelos sócios com a consultoria do chef Pedro Mendes. Eles homenageiam empreendedores de sucesso. Um deles leva o nome do fundador da 3G Capital, Marcel Telles. Opção vegana, é feito com ciabata, abobrinha, berinjela em conserva de ervas, cenoura, rúcula e redução de balsâmico (R$ 15,50).

O sanduíche Sílvio Santos leva linguiça artesanal defumada com ervas, queijo prato (R$ 18). O Viviane Senna – homenagem à irmã do piloto Ayrton Senna, que se tornou empreendedora social – é feito de ciabata, carne seca, requeijão cremoso, queijo prato, picles e alface (R$ 22).

Todos os produtos vêm de fornecedores locais – são artesanais, preferencialmente. “Nosso café vem do Sul de Minas, feito com grão especial. É bem diferente daquele que estamos acostumados a tomar em casa”, diz Sady Viana.

Quem não abre mão de um docinho pode experimentar a torta de banana com doce de leite, biscoito e chantilly (R$ 9,50 a fatia). O sabor é surpreendente!

COFICE
Avenida Álvares Cabral, 356, Centro. Aberto de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 20h30. Informações: (31) 3586-2128

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA