No Prado, Casa Lobb reúne moda e gastronomia

Bar é dos mesmos sócios do Bombshell. No cardápio, drinks, batatas rosti e algumas novidades, como a coxinha de rabada

por Mariana Peixoto 10/03/2017 09:05
FOTOS: MARCOS VIEIRA/EM/D.A PRESS
Barman da Casa Lobb prepara drink aperol spritz (foto: FOTOS: MARCOS VIEIRA/EM/D.A PRESS)
Tradicional polo de moda de Belo Horizonte, o Prado vem ganhando, nos últimos anos, uma série de endereços de (bons) bares e restaurantes. Pois a Casa Lobb une os dois mundos. Você pode sair para tomar um drinque e voltar de roupa nova. Os preços, vale dizer, são bem acessíveis.


Três sócios respondem pela casa na Rua Brumadinho: João Augusto e Renato Soares (dos bares Bombshell e Santeria, na Savassi) e Bruno Coelho (das marcas Drosófila e Lobb). O espaço funcionava como fábrica e showroom das grifes até que veio o convite para que se tornasse também um bar.

Uma varanda, daquelas que só as edificações com muita história ainda têm, guarda algumas mesas. Na parte posterior há ainda um lounge (com direito a jardim vertical). Já na área interna há dois salões: um com o balcão onde são preparados os drinques e outros com showroom. Tudo decorado com muita cor (o projeto é de Sinval Mendes), papéis de parede de diferentes texturas e detalhes que fazem a diferença.

Mas vamos ao que interessa: os comes e bebes. João Augusto levou a especialidade do Bombshell para o Prado: a batata rosti. Foi em 2008, no Barracão (bar montado no fundo da casa de seus pais, no Bairro Pompeia), que ele desenvolveu a iguaria. “Eu, minha mãe e minha irmã (que hoje responde pelo Barracão) pegamos a receita suíça e demos uma modificada. Na Suíça, ela é feita com batata ralada, queijos misturados e até mesmo embutidos incorporados à massa. Nós resolvemos recheá-las.”

Daí surgiram pratos já clássicos para quem frequenta os bares dele na Savassi: rosti com carne-seca e requeijão, camarão, frango e bacon, entre outras. Para o Lobb, ele criou um outro sabor: queijo cheddar, bacon e cebola caramelizada. O prato, que serve de três a quatro pessoas, leva de 25 a 30 minutos para ficar pronto – e a espera vale a pena. Custa a partir de R$ 42,90.

Há outros tira-gostos exclusivos da Lobb. Um deles é a coxinha de rabada com molho barbecue (R$ 21,80, porção de quatro unidades). Outra opção é a tábua de frios com presunto Copa, linguiça defumada, queijo canastra e chutney de frutas secas (R$ 21,80).

A carta de drinques traz cerca de 25 opções (a partir de R$ 16,90). O carro-chefe é o demônio (vodca, limão capeta macerado com açúcar, mel e mexedor de canela), sempre o mais pedido nas casas de João Augusto. “Se for juntar os três bares, gasto pelo menos meia tonelada de limão capeta por mês”, conta.

Mas há novidades, incluindo três tipos de gim-tônica: flower tonic (gim, flor de hibisco, xarope de romã e suco de limão); gim berry tonic (gim, licor de cassis e frutas silvestres); e apple tonic (gim, maçã e xarope de capim-limão).

Quinzenalmente, ainda rolam alguns projetos de música: às quintas-feiras tem eletrônica, com o Deep Love, e às sextas, apresentações de pop rock. Hoje, o show fica por conta de Nabor Antunes.

 

CASA LOBB
Rua Brumadinho, 648, Prado. Funcionamento de quinta-feira a sábado, das 19h à 1h. Informações: www.casalobb.com.br

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA