Pizzaria La Vera aposta na simplicidade e em diferencial para atrair clientes

Restaurantes serve 18 sabores de pizza a preço único para serem comidos sem garfo e faca

por Eduardo Tristão Girão 24/06/2016 10:05

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Se há uma pizzaria fora da curva em BH, ela se chama La Vera. Aberta no fim do ano passado, no Bairro Cruzeiro, foi planejada para delivery, com quatro mesas na calçada para que os que fizessem pedido pessoalmente pudessem esperar sentados.


Pois, recentemente, a loja ao lado foi anexada, as mesas foram quadruplicadas e vende-se inclusive fatias para comer no local. Ali, não existe ketchup, o azeite só aparece se for pedido e todos os sabores têm o mesmo preço. Detalhe: não há pratos ou talheres; come-se com as mãos.

Leonardo e Lidiane Fontanelli (ele, italiano de Livorno; ela, mineira de Divinópolis) formam o casal responsável pela casa, bastante frequentada por italianos e recomendada por vários chefs da cidade.
Rodrigo Clemente/EM/D.A Press
O proprietário Leonardo Fontanelli deixou Livorno para se instalar em Belo Horizonte (foto: Rodrigo Clemente/EM/D.A Press)

“Pizza é assim, para ser comida com as mãos. Seria como comer frango à passarinho com garfo”, compara ele. Conheceu Lidiane 14 anos atrás, quando visitou o Brasil pela primeira vez, mas só deixou o país natal ano passado, depois de vender o restaurante da família onde trabalhou como cozinheiro.

Eles apostam em pizza de massa fina e textura ligeiramente crocante, firme o suficiente para dispensar o uso de talheres e não provocar bagunça. A massa leva farinha italiana 00, água, fermento, óleo e sal, fermentada por período que varia entre 48 e 72 horas.


É assada por quatro minutos em forno a gás, com molho de tomate não refogado (apenas tomate italiano sem pele, batido com sal) e muçarela de búfala (e não de vaca). Por cima disso, os ingredientes específicos dos 18 sabores do cardápio, cada um a R$ 55 (35cm, oito fatias).

O preço vale, então, tanto para a básica marguerita (com folhas de manjericão, tomate sweet grape fresco e azeite de manjericão) quanto para as que são elaboradas com ingredientes mais caros, como queijo tipo grana padano, mascarpone nacional, presunto cru italiano e outros itens importados, como azeitona da variedade taggiasca e cogumelos.

Há algumas pedidas vegetarianas, mas, como é de se esperar para uma pizzaria do tipo, não há pizzas com frango, tampouco requeijão. A única exceção é aberta para pedidos de pizza meio a meio.

ÁLCOOL

Por não ter pratos nem talheres, as pizzas são servidas sobre tábua de madeira (no caso das inteiras) ou em suporte de papel (para as fatias, que custam R$ 7, cada).

Garçons oferecem álcool gel para os que têm qualquer restrição em relação a essa particularidade de serviço e, se consultados, ensinam a pinçar fatias com três dedos. “O público está gostando e, hoje, não há muitas reclamações em relação a isso. Na minha região, na minha casa, se come assim”, diz Leonardo. De sobremesa, há uma pizza doce, de Nutella com mascarpone, a R$ 7 (fatia).

Para beber, há 12 rótulos de vinho, com preços entre R$ 35 e R$ 98 (garrafa) – trabalha-se com margem de lucro de 30% a 40% sobre o preço de prateleira (contra o habitual preço dobrado da concorrência). A casa cobra R$ 8 pelo uso de cada taça dos que levam vinho próprio para beber no local.


A linha completa da cervejaria belo-horizontina Wäls está disponível ali, com valores entre R$ 10 e R$ 22, mas há long necks mais em conta, por R$ 6, de outras marcas.

La Vera
Rua Maceió, 212, Cruzeiro. (31) 3140-3110. Aberto de quarta a domingo, das 18h às 23h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA