À frente do Restaurante Drummond, chef Virendra Singh inaugura jantares com pratos de sua terra

Restaurante fica localizado no Hotel Holiday Inn, no bairro Funcionários

por Eduardo Tristão Girão 08/04/2016 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Beto Novaes/EM/D.A Press
(foto: Beto Novaes/EM/D.A Press)

É curiosa a trajetória do chef do Restaurante Drummond, localizado no térreo do Hotel Holiday Inn, no Funcionários. Virendra Singh, de 30 anos, nasceu em Dehradun, cidade no Norte da Índia, próxima à fronteira com o Tibete e o Nepal. Habituado a assistir a programas de gastronomia na TV, não tardou para que se mudasse para Délhi e fosse estudar gastronomia. Tomou gosto pela vertente hoteleira, trabalhou em outros países e, em 2011, chegou a Belo Horizonte, onde trabalhou na cozinha do indiano Maharaj, que funciona junto ao consulado do país asiático.

Pois este profissional hoje responde por tudo o que é comido no hotel, seja por fregueses avulsos do restaurante, seja por hóspedes que solicitam o room service. Gerencia o café da manhã, a feijoada das sextas, os risotos das quartas e quintas, a picanha com farofa, os sanduíches e mais uma lista quase interminável de preparos. A partir desta semana, terá motivo especial para esticar a jornada às sextas, quando estreará noite indiana aberta ao público: ele vai cozinhar pessoalmente pratos típicos de seu país.

Serão três opções de pratos principais, todos individuais. O primeiro deles, é o palak paneer, composto por pedaços de queijo em molho de espinafre, manteiga, creme de leite e mistura de cerca de 15 especiarias (R$ 58) – o queijo típico indiano, coalhado com algum ingrediente ácido (como o limão), é trocado por queijo de minas frescal, adaptação feita por todas as casas indianas da cidade.

Os outros dois são o butter chicken (também conhecido como murg makhani; cubos de peito de frango ao molho de tomate com manteiga, iogurte caseiro, gengibre, alho e especiarias, R$ 65) e os camarões marinados com iogurte, gengibre, alho, suco de limão e especiarias (R$ 99). A guarnição do primeiro é o rumali roti, pão típico e fino, assado na hora; a do segundo é arroz de legumes.

Para a sobremesa, outra pedida tradicional, o ras malai, que consiste em bolinho de leite cozido em leite condensado e coberto com nozes (R$ 26). Se optar pelo menu completo, que inclui um desses três pratos, a sobremesa e uma entrada (no caso, o pão naan com chutney de manga feito no local), o freguês paga R$ 119. “Esses são pratos que se come em qualquer restaurante na Índia”, diz Singh.

No cardápio fixo do restaurante é possível encontrar pratos variados, incluindo, carnes, massas e risotos. Entre os mais vendidos estão o filé com risoto de cogumelos (R$ 72), salmão ao molho de alcaparras com risoto de limão siciliano (R$ 62), picanha com batatas assadas e farofa (R$ 62) e risoto de rúcula e tomate seco (R$ 44), todos individuais. A carta de vinhos conta com 50 rótulos (a partir de R$ 75, garrafa) e as cervejas começam em R$ 10,90 (long neck).

QUIABO Singh já se considera praticamente mineiro e diz ter adotado verdadeiramente BH como seu lar. “Aqui tenho tranquilidade, felicidade. Saio muito para comer fora, vou a shows, curto o carnaval da cidade. Não entendo muito bem as letras das músicas brasileiras, mas já sei dançá-las”, brinca. Ele garante não sentir tanta falta da comida indiana (apesar de fazer alguns pratos típicos em casa, ocasionalmente) e que, quando vai a restaurantes com bufê de comida mineira, come de tudo um pouco. Sua preferência é pelo frango com quiabo.

Drummond

Rua Professor Moraes, 600, Funcionários. (31) 3064-6520. Aberto diariamente, das 12h às 15h e das 19h às 23h. A noite indiana é realizada apenas às sextas, no jantar.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA