BH assiste à versão original da ópera censurada de Verdi

Palácio das Artes recebe espetáculo do compositor italiano neste fim de semana

por Sérgio Rodrigo Reis 01/11/2013 09:16

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
João Marcos Rosa/Nitro/divulgação
(foto: João Marcos Rosa/Nitro/divulgação)

O bicentenário do compositor italiano Giuseppe Verdi (1813 – 1901) ganha mais um tributo em Belo Horizonte: a ópera 'Um baile de máscaras'. Com direção musical e regência de Marcelo Ramos e concepção e direção cênica de Fernando Bicudo, o espetáculo ficará em cartaz até dia 9, no Palácio das Artes. Os papéis principais estão a cargo dos tenores Marc Heller (EUA) e Paulo Mandarino (Brasil) e das sopranos Eiko Senda (Japão) e Elaine de Morais (Brasil).

Pela primeira vez, o Brasil conhecerá o libreto original de Verdi. A ópera foi censurada por motivos políticos na época de seu lançamento, em 1859. “Verdi nunca assistiu ao Baile... que escreveu. Morreu contrariado”, conta o musicólogo e maestro Luiz Aguiar. O título foi alterado, bem como os nomes dos protagonistas.

Na história inventada pelo italiano, o rei sueco Gustavo III se apaixona por Amélia, esposa de Renato, seu grande amigo e secretário. Durante uma audiência, ele é alertado sobre uma conspiração e sobre as previsões de Ulrica, a estranha vidente consultada pelo povo. Disfarçado, Gustavo vai visitá-la e acaba ouvindo uma conversa dela com Amélia, que se confessa apaixonada por ele. “A gente verá em BH a verdadeira ópera. Se há algum mérito nosso, foi o de reconstituir a história real”, conclui Luiz Aguiar.

UM BAILE DE MÁSCARAS

Ópera de Giuseppe Verdi. Duração: 2h40min, com dois intervalos de 20min. Récitas sábado, domingo e nos dias 6, 8 e 9. Sessões às 20h30. Aos domingos, só às 19h. Palácio das Artes, Avenida Afonso Pena, 1.537, Centro. R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia). Informações: (31) 3236-7400.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS