Netflix lança série ambientada nos anos 1990 com os mesmos moldes de 'Stranger things'

'Everything sucks!' mostra adolescentes de uma escola americana às voltas com a explosão de hormônios, pais e o tédio da cidade interiorana onde vivem

por Estadão Conteúdo 16/02/2018 10:55

Netflix/Divulgação
O look noventista dos atores Eijah Stevenson e Sydney Sweeney. (foto: Netflix/Divulgação )

O conturbado e, para muitos, torturante período do ensino médio, que os americanos chamam de “high school”, é ambiente fértil para dramas e comédias que proporcionam motes para inúmeros livros, filmes e séries. Everything sucks!, nova produção da Netflix, bebe nessa fonte inesgotável. A apresentação do programa, que estreia nesta sexta-feira (16), já diz do que se trata: “É estranho, é excitante, é doloroso, é o ensino médio!”.

As primeiras imagens denunciam: a série se passa nos anos 1990. A história se desenrola, mais exatamente, em 1996, em uma escola na cidade de Boring (que em inglês significa chato, enfadonho), no estado do Oregon, nos Estados Unidos. Pode parecer mais uma piada dos criadores e produtores da atração, Ben York Jones e Michael Mohan, mas o lugar realmente existe.

A comédia de costumes retrata adolescentes com todos os hormônios em ebulição, morando em uma cidadezinha de cerca de sete mil habitantes cuja principal fonte de renda é a extração de madeira. E, ainda por cima, em uma época em que não havia smartphone, laptop, tablet e, muito menos, Netflix.

Nos 10 episódios de 30 minutos, os embates entre os populares e os nerds da escola têm como pano de fundo a realização de um filme produzido pelos clubes de audiovisual e de teatro da Escola de Boring.

PAIS Mesclando comédia e drama, Everything sucks! traz adolescentes às voltas com sexualidade, namoro, escola e, claro, os pais. Além das aspirações dos protagonistas Luke O’Neil (interpretado pelo adolescente Jahi Winston) e Kate Messner (papel da canadense Peyton Kennedy) e de um time de teenagers, o estilo, a moda, o comportamento e, claro, as músicas da década de 1990, principalmente o hip-hop e o grunge, são peças fundamentais para o mosaico da época.

De certa forma, Everything sucks! ocupa lugar semelhante ao que Stranger things significou para os fãs dos anos 1980.

“Na série há referências de nossos programas preferidos quando éramos adolescentes, como Anos incríveis, Happy days e That’ 70s show. Achamos que este é um bom momento para reviver a moda, a música e o comportamento dos anos 90. Everything sucks! expõe a nossa visão desse período”, afirmou Jones em entrevista ao site Deadline Hollywood.

 

Abaixo, confira o trailer de Everything sucks!

 

Punk rock
Não é só coincidência. O título da nova série da Netflix remete ao nome do disco da banda californiana Descendents lançado em 1996 – justamente o ano em que se passa a trama. Depois de idas e vindas do grupo criado em 1978, o álbum Everything sucks marcou o encontro do vocalista Milo Aukerman e seus companheiros com os jovens noventistas que curtiam o punk rock de Green Day e The Offspring. O quinto trabalho de estúdio do Descendents chegou às famosas listas da Billboard.

EVERYTHING SUCKS!
>> Disponível a partir desta sexta-feira (16), na plataforma de streaming Netflix
>> 10 episódios

O PASSADO NÃO CONDENA

 

Não é de hoje que o mercado de séries aposta na nostalgia para conquistar o público. Confira a seguir cinco atrações que se tornaram queridinhas dos saudosistas:

» STRANGER THINGS

Netflix/Reprodução
'Stranger things' proporciona uma viagem ao passado para os fãs dos anos 1980. (foto: Netflix/Reprodução)

Um dos maiores sucessos originais da Netflix, Stranger things solidificou a ideia de que o público adora relembrar os velhos tempos. Assim como Everything sucks!, a história é ambientada em uma pequena cidade interiorana dos Estados Unidos. Anos 1980, criaturas sobrenaturais, aventuras infantis e muitos mistérios são alguns dos elementos apontados como responsáveis pelo êxito do programa. De quebra, são constantes as referências (os chamados easter eggs) a filmes que marcaram a infância dos jovens adultos de hoje.

» THE GET DOWN

Netflix/Reprodução
Ambientada em Nova York e dirigida por Baz Luhrmann, 'The get down' foi cancelada pelo serviço de streaming. (foto: Netflix/Reprodução)

Ambientada no subúrbio de Nova York, a série de Baz Luhrmann mostra os desafios enfrentados por jovens negros em 1977. Com humor, retrata o surgimento da cultura hip-hop e a efervescência da disco music, reservando espaço para discussões sobre racismo, política e religião. Apesar de muito elogiada, The get down não ganhou a segunda temporada.

» GLOW

Netflix/Divulgação
'Glow', da Netflix, também é ambientada nos anos 1980. (foto: Netflix/Divulgação)
 

Os anos 1980 são o cenário das desventuras de uma atriz desempregada que resolve se tornar lutadora profissional. No Brasil, os vídeos promocionais da série contaram com duas estrelas daquela década: Gretchen e Rita Cadillac. A Netflix confirmou a segunda temporada.

» MAD MEN

Downtown/Reprodução
Com Elizabeth Moss, 'Mad men' se passa nos anos 1960. (foto: Downtown/Reprodução)

Com sete temporadas e diversos prêmios, Mad men investiu pesado na reconstituição de época ao retratar o cotidiano em uma agência de publicidade na década de 1960. Exibida originalmente entre 2007 e 2014, a produção é cultuada até hoje pelo primor com que mostrou os costumes sessentistas.

» ANOS INCRÍVEIS

NWT/Reprodução
'Anos incríveis marcou época na TV norte-americana. (foto: NWT/Reprodução)

Muito antes da explosão de séries nostálgicas, a TV americana já apostava nesse filão. Eventos históricos e questões sociais ocorridos nas décadas de 1960 e 1970 acompanhavam a trajetória do protagonista Kevin Arnold (Fred Savage). Anos incríveis ficou no ar de 1988 a 1993 nos Estados Unidos.

RECORDAR É VIVER


Também com foco no saudosismo, nos últimos anos aumentou o número de spin offs – continuações das antigas tramas ambientadas nos dias atuais:

» TWIN PEAKS

Netflix/Divulgação
'Twin peaks', de David Lynch. (foto: Netflix/Divulgação)
 

“I’ll see you again in 25 years”, anunciava Laura Palmer (Sheryl Lee) na série de David Lynch exibida entre 1990 e 1991. Com pouca audiência na época, a produção teve seu término antecipado, mas se tornou cult com o passar do tempo. Em 2017 (e não 25 anos depois de sair do ar), Laura Palmer voltou em 18 episódios, repetindo o clima sombrio que conquistou uma legião de fãs.


» TRÊS É DEMAIS

Netflix/Divulgação
Elenco da nova versão de 'Três é demais'. (foto: Netflix/Divulgação)

A sitcom de sucesso, exibida nas décadas de 1980 e 1990, ganhou continuação em 2016, com vários integrantes do elenco revivendo os respectivos personagens. Apesar do burburinho gerado pelo retorno, os fãs se decepcionaram com a ausência das Irmãs Olsen, que cresceram em frente às câmeras nas oito temporadas da série original.

» GILMORE GIRLS

Netflix/Reprodução
'Gilmore girls' ganhou continuação em 2016. (foto: Netflix/Reprodução)

A conturbada relação entre mãe e filha emocionou o público ao longo de oito temporadas exibidas de 2000 a 2007. Em 2016, as atrizes Lauren Graham e Alexis Bledel reencarnaram as respectivas personagens em um revival de quatro episódios.

» ARQUIVO X

Divulgação
'Arquivo X' ganhou nova versão em 2018. (foto: Divulgação)

Sucesso mundial, Arquivo X foi exibida inicialmente de 1993 a 2002. Órfãos, os fãs ganharam, em 2008, um filme baseado naquele universo. Em 2016, foi lançada a minissérie que atraiu cerca de 16 milhões de espectadores em sua estreia. Outra temporada, com cinco episódios, saiu no início de 2018 – atualmente, a Fox a exibe no Brasil.

» SAI DE BAIXO

Viva/Reprodução
Nostalgia, no Brasil, é sinônimo da 'Sai de baixo'. (foto: Viva/Reprodução)

O Brasil também entrou na brincadeira em 2013, quando o Canal Viva produziu quatro novos episódios do humorístico Sai de baixo, exibido pela Rede Globo de 1996 a 2002. A ausência de alguns integrantes do elenco original – como Tom Cavalcante e Cláudia Gimenez – não impediu o sucesso do revival.

» DALLAS

Warner/Reprodução
Sucesso entre os anos 1970 e 1990, 'Dallas' não obteve o mesmo resultado em 2014. (foto: Warner/Reprodução)

Fenômeno de audiência nos Estados Unidos, Dallas ficou no ar de 1978 a 1991, retornando em três temporadas, exibidas entre 2012 e 2014. Mesmo sem repetir o sucesso da versão original, o spin off causou comoção por trazer de volta a rivalidade das famílias Ewing e Southfork.

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']

MAIS SOBRE SERIES-E-TV