DarkSide Books completa um ano no Brasil dedicando-se aos livros de terror e fantasia

Editora abre espaço para bastidores do cinema e bandas de rock

por Mariana Peixoto 26/10/2013 00:13
Bertrand Langlois/AFP
(foto: Bertrand Langlois/AFP)
Enquanto boa parte do mercado editorial se volta para os e-books, eles investem em caprichadas edições de papel. Um ano depois de criada, a DarkSide Books, primeira editora brasileira especializada no universo do terror e da fantasia, descobriu que para o seu segmento, além do que está escrito no papel, o cuidado com ele é essencial. “Filme B, terror trash, às vezes, é confundido com mau gosto. Mas nosso público tem muita referência estética, é exigente”, afirma o designer Christiano Menezes, que em outubro de 2012 montou com Chico de Assis, seu sócio no estúdio de design Retina 78, a editora.

Até agora foram 10 lançamentos, entre romances, biografias e relatos sobre produções clássicas de terror. “Eu e meu sócio estamos no mercado editorial há quase 15 anos (a Retina 78 já assinou capas de livros de Stieg Larsson, Haruki Murakami, Vladimir Nabokov, José Saramago e ganhou, em 2010, o Jabuti pelo trabalho feito na obra O resto é ruído, de Alex Ross). Entramos num nicho que estava completamente deixado de lado”, continua Menezes.

Pela DarkSide foram publicados Os Goonies, de James Kahn, romance inspirado no filme de 1985 de Steven Spielberg (e escrito a pedido do próprio); Psicose, de Robert Bloch, primeira reedição brasileira em meio século do romance que deu origem ao filme de Alfred Hitchcock; O massacre da serra elétrica, de Stefan Jaworzyn, com detalhes da produção dos filmes da série iniciada em 1974; Evil dead – A morte do demônio, de Bill Warren, também sobre os bastidores do filme de Sam Raimi; e as biografias dos escritores J. R. R. Tolkien, Stephen King e da banda Black Sabbath. Recentemente, a editora colocou no mercado Prince of thorns, o primeiro título da Trilogia dos espinhos, de Mark Lawrence, obra que já ganhou edição em 15 idiomas.

Muitos desses livros tiveram edição comum, em brochura, e outra em capa dura. “O primeiro teste que fizemos foi com Os Goonies, pois é um livro consideravelmente mais caro (entre R$ 20 e R$ 22 a mais do que o de brochura). Fizemos uma edição de colecionador, com tiragem limitada a mil exemplares e numerada a mão que esgotou em três semanas. Aí a gente viu que o pessoal gosta e respeita de fato. A história se repetiu com O massacre da serra elétrica, Evil dead e Psicose, com as edições em capa dura vendendo mais rápido do que as de brochura.” Atualment, as edições, nos dois formatos, são de 5 mil exemplares cada.

Digital


Mesmo com o retorno das edições caprichadas, a DarkSide também vem enveredando, aos poucos, no formato de e-book. “A ansiedade do e-book está meio exagerada, há uma pressa e o formato ainda está amadurecendo”, afirma Menezes. Mesmo assim, a DarkSide disponibilizou, gratuitamente, os livros digitais O hóspede de Drácula, conto de Bram Stoker, e O corvo, de Edgar Allan Poe, com o poema original, as traduções de Machado de Assis e Fernando Pessoa e um texto de Charles Baudelaire sobre o escritor norte-americano.

Diante de tudo, resta a pergunta: como primeira editora nacional especializada em terror e fantasia, quando a DarkSide irá lançar um autor brasileiro?. “A gente recebe de três a quatro originais por semana. Muitos são livros de 40 páginas que não fazem o menor sentido. Mas o meio está crescendo, e a quantidade de novos escritores talentosos tem impressionado. Só que lançar alguém novo requer um cuidado muito especial. Talvez no segundo semestre de 2014”, finaliza Menezes.

Reino da fantasia


Outra editora que chega ao Brasil prometendo se dedicar exclusivamente ao segmento da fantasia é a Saída de Emergência, originária de Portugal. O primeiro título da casa é Mago – Livro 1 – O aprendiz , de Raymond E. Feist, nome conhecido no estilo, com traduções em mais de 30 idiomas. Além dos livros, a editora inova com a publicação de uma revista dedicada à literatura de fantasia e horror, a Bang, que tem primeiro número gratuito distribuído nas livrarias. Na edição de lançamento, um dossiê extenso sobre a obra de Feist e entrevista com George R. R. Martin e ensaio sobre as origens da literatura fantástica no Brasil. A Saída de Emergência anuncia os próximos títulos, que serão lançados até o fim do ano: Tigana, de Guy Gavriel Kay; A corte do ar, de Stephen Hunt; Os jardins da lua, de Stephen Erikson, além do segundo volume de Mago.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE PENSAR