''Alô, Terra'': sinais de rádio não param de chegar do espaço

Cientistas relatam repetidas explosões de sinais que viriam de uma galáxia a 1,5 bilhão de anos-luz no nosso planeta. Alienígenas ou explosões estrelares?

por Liliane Corrêa 09/01/2019 18:45
Nasa/Divulgação
(foto: Nasa/Divulgação)
Cientistas detectaram repetidas explosões de sinais de rádio vindos das “profundezas do espaço”. Segundo artigos publicados na revista especializada Nature, é a segunda vez que uma explosão de rádio tão repetitiva é registrada por cientistas, o que aprofunda o mistério e amplia a possibilidade de, finalmente, se entender o que pode estar gerando essas ondas, que parecem vir de uma galáxia a 1,5 bilhão de anos-luz de distância da Terra.

Ao jornal britânico Independent, os autores dos artigos explicaram que as especulações sobre a origem dessas explosões abrangem quase tudo, desde explosões de estrelas até misteriosas transmissões feitas por alienígenas. Mas a verdade é que ainda há poucas evidências para cravar o que estaria provocando as ondas.

Os flashes duram apenas um milisegundo, mas, segundo os cientistas, são lançados com a mesma quantidade de energia que o Sol leva um ano inteiro para produzir. Coisa gigantesca. A mais intrigante das explosões registradas agora é uma que os cientistas viram se repetir seis vezes e que, aparentemente, vêm do mesmo local. 

Se há duas, há várias

Até agora, se conhecia apenas uma sequência repetida de ondas. “Saber que há outra sequência sugere que pode haver mais delas pelo espaço e, com mais repetidores e mais fontes disponíveis para estudo, podemos ser capazes de entender esse quebra-cabeças cósmico, de onde elas vêm e o que causam”, disse a astrofísica Ingrid Stairs ao Independent.

“Detectar sinais repetidos provavelmente significa que exista uma população substancial deles e que a humanidade, provavelmente, os encontrará”, dizem os pesquisadores em um dos dois artigos sobre o assunto publicados na revista Nature.

Nos artigos da revista, os pesquisadores relatam que cerca de 13 das explosões ocorreram em apenas três semanas, oferecendo um novo e vasto conjunto de dados para os cientistas que pesquisam sua fonte. Juntos, eles podem oferecer alguma evidência do ambiente extremo ou incomum de onde as explosões estão vindo - ou a misteriosa tecnologia que supostas civilizações alienígenas poderiam estar usando para lançá-las no espaço.
 
Alta frequência 

“Qualquer que seja a fonte dessas ondas de rádio, é interessante ver a amplitude de frequência que ela pode produzir. Em alguns modelos, a fonte não consegue produzir nada abaixo de uma certa frequência”, explica Arun Naidu, cientista membro da equipe da McGill University. 
 
Resta esperar que as explosões de ondas de rádio se repitam e gerem novas conclusões científicas sobre a origem delas. O vídeo abaixo mostra a jornada de uma onda rápida de rádio pelo espaço. Assista:
 

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']