Polícia argentina culpa ratos por sumiço de 540 Kg de maconha

Segundo especialistas, é improvável que os roedores tenham confundido a droga com alimento

por Luiz Augusto Barros* 11/04/2018 19:18
Pixabay/Divulgação
(foto: Pixabay/Divulgação)
Oito policiais foram demitidos depois do desaparecimento de mais de meia tonelada de maconha de um depósito na cidade de Pilar, na Argentina. Quando questionados, quatro deles deram a mesma resposta: a droga foi comida por ratos.

Segundo o jornal argentino Clarín, a droga estava no depósito há dois anos e fazia parte de uma carga de 6 toneladas apreendidas. Porém, em uma recente conferência, foi constatado que havia apenas 5,46 toneladas no local. O ex-comissário de polícia, Javier Specia, um dos que atribuiu o sumiço aos ratos, foi indiciado como principal suspeito do desaparecimento e abandonou o cargo.

O juiz Adrián González Charvay, que investiga o caso, não se convenceu com a história contada pelos policiais e pediu esclarecimentos a especialistas da Universidade de Buenos Aires, que garantiram que os animais jamais confundiriam maconha com alimento. Além disso, na remota possibilidade de o fato ser verdadeiro, seriam necessários muitos roedores para consumir uma quantidade tão grande da droga e os animais teriam sido encontrados, muitos deles mortos.

Os quatro policiais terão que se apresentar ao juiz que comanda a equipe de investigação no início de maio. Charvay deverá determinar se o desaparecimento foi resultado de negligência ou um ato deliberado dos policiais.
 
*Estagiário sob supervisão da editora Liliane Corrêa 

VÍDEOS RECOMENDADOS