Alice Caymmi reafirma veia autoral e faz show dançante em BH

Cantora lança 'Alice', álbum em que se apresenta sem o sobrenome de peso e nenhum alter ego

por Débora Anunciação* 13/04/2018 09:00

Daryan Dornelles/divulgação
Artista ressalta as raízes mineiras de sua família (foto: Daryan Dornelles/divulgação)
De Alice Caymmi (2012) e Rainha dos raios (2014) a Alice (2018) foi uma longa trajetória. Sem o sobrenome de peso e nenhum alter ego, o novo álbum se sustenta no desejo de afirmação da cantora e compositora carioca, de 27 anos, que chega nesta sexta-feira (13) a BH para se apresentar na casa de shows A Autêntica.

“No primeiro disco, ainda estava construindo minha identidade. No segundo, criei uma casca, uma alegoria. Já nesse último, simplifiquei minhas características para que ele se tornasse uma versão resumida de quem eu sou”, conta Alice Caymmi. Ela promete um show dançante em BH. “É uma versão leve das músicas que eu queria cantar, além das canções do disco novo e versões das faixas do anterior”, resume.

A drag queen Azzula, vocalista da banda The Pulso in Chamas, vai abrir a noite interpretando composições de Milena Torres, Mamutte, Bia Nogueira e Rodrigo Negão – artistas da nova cena musical de Minas.

CLÃ Neta de Dorival Caymmi (1914-2008), filha dos cantores Simone e Danilo Caymmi, sobrinha de Dori e Nana, Alice quer ser reconhecida pelo próprio trabalho. “Busco a lealdade do público novo, diferente. São pessoas que não estão dominadas por uma ideia de mim”, explica.

O novo disco traz parcerias dela com Ana Carolina, Pabllo Vittar e Rincon Sapiência. “Tudo aconteceu naturalmente, pois essas pessoas já faziam parte da minha vida. Ana é uma grande amiga pessoal, o produtor da Pabllo também. Curto muito o trabalho do Rincon”, comenta.

 

Assista ao clipe de Eu te avisei, dueto com Pabllo Vittar:



No YouTube podem ser vistos vídeos criados para cada faixa de Alice. Há uma série de music portraits – retratos fotográficos com movimentos especiais – dirigidos por Barbara Ohana, produtora do disco, também cantora e compositora.

“Foi uma maneira de transformar o álbum em videografia, um álbum visual em que cada retrato representa a letra da música”, explica Alice Caymmi.

STELLA A cantora e compositora diz que sua performance em Minas Gerais será especial, pois os Caymmi têm forte ligação com o estado. A avó dela, Stella Maris (1922-2008), nasceu na cidade de Pequeri, na Zona da Mata, onde Dorival costumava passar temporadas.


“Estou ansiosa, pois gosto muito das pessoas daí, tem gente que é praticamente da minha família,” diz Alice. No sábado (14), prossegue a jornada mineira, pois ela vai cantar na Festa Madalena, em São João del-Rei.

ALICE CAYMMI
Nesta sexta-feira (13), às 22h. A Autêntica. Rua Alagoas, 1.172, Savassi. Abertura: Azzula. R$ 40 (antecipado) e R$ 50 (portaria). Informações: (31) 3654-9251.

 

* Estagiária sob supervisão da editora assistente Ângela Faria

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MUSICA