Livro de Sergio Poroger ganha noite de autógrafos, exposição e show em BH

'Cold hot' faz da paixão pela música o principal objeto de seu primeiro projeto fotográfico

por Walter Felix 06/04/2018 10:26
Sergio Poroger/Divulgação
Foto retrata músicos se divertindo no Sul dos Estados Unidos. (foto: Sergio Poroger/Divulgação)

A fotografia deu novo rumo à carreira do jornalista Sergio Poroger. Trabalhando no setor de comunicação desde 1980, há apenas 10 anos o paulistano passou a se dedicar a essa arte, que considera sua grande aventura. E foi outra de suas paixões – a música – o objeto central de seu primeiro projeto fotográfico: Cold hot, livro que será lançado nesta sexta-feira (6), em BH.

A publicação é fruto da viagem realizada por ele ao Sul dos Estados Unidos, há quatro anos. O artista sonhava com aquela road trip desde jovem, sentimento que aflorou novamente quando se deparou com a obra de fotógrafos viajantes na América do Norte, como o suíço Robert Frank. “Ele gostava de situações rotineiras, com atração especial por carros em autoestradas. Isso ficou retido na minha memória e foi decisivo quando dei início ao projeto”, revela Poroger.

O paulistano iniciou sua jornada por cinco estados – Georgia, Tennessee, Mississippi, Luisiana e Texas –, que compõem a lendária Rota 61. O roteiro foi resultado da pesquisa pelas regiões “mais musicais” dos EUA.

“Sempre gostei muito de música. Com a chegada da fotografia na minha vida, resolvi unir as paixões e fazer um livro sobre a musicalidade dos Estados Unidos de hoje”, conta. “Deparei-me com uma América muito diferente daquela que nós, brasileiros, estamos acostumados a visitar – Miami, Nova York, Los Angeles. O Sul dos Estados Unidos é extremamente simples, onde paisagens pobres e humildes contrastam com a riqueza musical daqueles lugares. O tempo parece passar mais devagar”, afirma Poroger.

No Tennessee, ouvem-se country e rock. Mississippi é o berço do blues. Em Luisiana, o jazz e o cajun predominam. “Minha intenção foi captar esses diferentes estilos. Algumas fotos do livro têm uma sonoridade muito grande”, observa.

A foto central mostra o banheiro do hotel em que Poroger ficou hospedado em Clarksdale, no Mississippi. Torneiras de água fria e quente, identificadas com letras escritas a mão, chamaram a atenção dele, revelando a dualidade de seu próprio trabalho, marcado por contrastes.

A primeira metade do livro é fria, com localidades remotas, aparentemente pacatas e gélidas. A segunda metade é quente, com registros da musicalidade particular do Sul dos EUA e de seu impacto sobre a vida dos moradores.

A dicotomia também está presente nas cores e na presença humana, muito bem demarcadas em Cold hot. A arquitetura de pontes e casas antigas, nas primeiras páginas, dá lugar ao neón dos letreiros das casas de shows. Essa luminosidade, diz o fotógrafo, vem da música.

“Quis mostrar tanto o lado desolador da região – presente também nas fotos do Robert Frank – quanto imagens em que a vida pulsa com intensidade”, conclui Poroger.

COLD HOT
• De Sergio Poroger
• Editora Alfaiatar
• 119 páginas
• R$ 129
• Lançamento nesta sexta-feira (6), às 17h, na Livraria da Rua. Rua Antônio de Albuquerque, 913, Savassi, (31) 3500-6750. Pocket show de Gui Borges (violão e voz), Pedro Fonseca (baixo) e Adriano Goyatá (bateria).

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']

MAIS SOBRE MUSICA