Mineiros protestam contra 'genocídio indígena' no Brasil em Cannes

Equipe de documentário 'Chuva é cantoria na aldeia dos mortos', de Ricardo Alves Jr e Thiago Macêdo Correia, empunharam cartazes pró-demarcação de terras

por AFP - Agence France-Presse 17/05/2018 14:05
Anne-Christine /AFP
(foto: Anne-Christine /AFP)

Chuva é cantoria na aldeia dos mortos
, de Renée Nader Messora e João Salaviza, único representante brasileiro na mostra Um Certo Olhar, paralela à competição oficial pela Palma de Ouro no Festival de Cannes, estreia nesta quarta (16) na Croisette, com duas sessões (às 14h e às 22h15, no horário local). A produção do longa é dos mineiros Ricardo Alves Jr e Thiago Macêdo Correia, da Entre Filmes, empresa sediada em Belo Horizonte.

“O filme será visto por um grande número de pessoas de várias partes do mundo. Termos sido selecionados para essa prestigiosa mostra desperta mais curiosidade sobre o filme no público presente ao festival”, afirma Ricardo Alves Jr. O lançamento do longa no Brasil está previsto para o final do ano ou o início de 2019

MAIS SOBRE CINEMA