Cannes 2018: Seleção tem diretor redimido e filme maldito

Sete anos após o escândalo que provocou no festival, Lars Von Trier retorna à mostra e apresenta fora da competição o filme 'The house that Jack built'

por Agência Estado 08/05/2018 09:30

AFP
Diretor dinamarquês foi considerado persona non grata em Cannes após demonstrar simpatia pelas ideia de Hitler. (foto: AFP)

Sete anos depois do escândalo que provocou em Cannes, o diretor dinamarquês Lars von Trier apresentará fora de competição The house that Jack built, anunciou o festival, que terá como filme de encerramento The man who killed Don Quixote, de Terry Gilliam.

 

Ao anunciar o retorno do polêmico Lars von Trier, que afirmou durante o evento em 2011 ter “simpatia” por Hitler, o festival se limitou a transmitir a decisão da direção. “Pierre Lescure, presidente do festival, e seu conselho de administração decidiram acolher o retorno do diretor dinamarquês Lars von Trier, Palma de Ouro de 2000, na mostra oficial. Seu novo filme será exibido fora de competição”, diz o  comunicado.


Em 2011, após as declarações polêmicas, e apesar de um pedido de desculpas, Lars von Trier foi declarado persona non grata na Croisette, uma punição sem precedentes. Seu filme Melancolia permaneceu na competição e rendeu o prêmio de melhor atriz para a americana Kirsten Dunst. Desde então, o dinamarquês não retornava à mostra. The house that Jack built, com Matt Dillon e Uma Thurman, conta a história de um serial killer.


Já o filme The man who killed Don Quixote, em que o diretor americano Terry Gilliam trabalha há quase 20 anos, foi considerado por muitos um projeto “maldito”. O longa começou a ser rodado em 2000 e quase não teve a possibilidade de estrear, devido a um conflito com o produtor português Paulo Branco.

DESACORDOS Branco comprou seus direitos de autor-diretor por meio de sua empresa Alfama Films. Em troca, tinha se comprometido, entre outras coisas, a manter a data da filmagem em outubro de 2016 e a respeitar as decisões artísticas de Gilliam. Mas durante a pré-produção, os muitos desacordos entre ambos levaram o produtor a suspender o início das filmagens.


Gilliam então procurou a produtora espanhola Tornasol, e com ela filmou o longa entre março e junho de 2017, na Espanha e em Portugal. O diretor foi à Justiça francesa para anular o contrato de cessão de direitos a Branco. Mas um tribunal de Paris se pronunciou em primeira instância em favor do produtor, embora tenha rejeitado seu pedido de parar as filmagens.


“Suas petições são ridículas. Tenta arrecadar o máximo com um filme que não produziu”, declarou Gilliam à imprensa, afirmando que Branco lhe pede uma compensação de 3,5 milhões de euros. Esse episódio judicial prolonga um pouco mais a “maldição” que atinge há quase duas décadas The man who killed Don Quixote.


Em 2000, Gilliam teve que interromper a filmagem de sua adaptação livre da obra de Cervantes, com Jean Rochefort, Johnny Depp e Vanessa Paradis, devido a uma série de incidentes, como inundações no set e uma hérnia de disco sofrida pelo já falecido ator francês. Gilliam tentou ressuscitar o projeto em várias ocasiões, deparando-se com a falta de financiamento, até conseguir filmar o longa em 2017.


A mostra paralela Um Certo Olhar anunciou a inclusão do filme Chuva é cantoria na Aldeia dos Mortos, do português João Salaviza e da brasileira Renée Nader Messora..

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']

MAIS SOBRE CINEMA