Mostras no MIS e no Espaço do Conhecimento exibem produções realizadas em BH

Mostra Udigrudi Mundial de Animação (Mumia) e 120 anos de BH trazem uma programação especial para homenagear a cidade

por Mariana Peixoto 05/12/2017 08:03

Na Era da Tela/Divulgação
Cândido e Wanda Cipriano em cena de 'ntre uma pipoca, um beijo e um drops Dulcora'. (foto: Na Era da Tela/Divulgação)

A partir desta semana, curtas e longas-metragens produzidos em Belo Horizonte serão exibidos em dois eventos realizados na cidade. Nesta terça-feira (5), a Mostra Udigrudi Mundial de Animação (Mumia) lança um programa especial para os 120 anos da capital. Serão exibidos, na fachada digital do Espaço do Conhecimento UFMG, 14 curtas que têm a cidade como tema. Um dos mais importantes é Castelos de vento (1998), de Tânia Anaya, marco da produção do gênero na Escola de Belas-Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Em oito minutos, conta uma história de amor. O cenário é facilmente reconhecível: a Praça da Liberdade e o Viaduto de Santa Tereza.

Outros curtas são Dilúvio (1993), de Magda Rezende, que, numa referência à arca de Noé, mistura animais brasileiros com os monumentos de BH; e Os pipichadores (1997), de Luis Cláudio Vianna, Maurício Gino e Sérgio Vilaça, que também aborda espaços conhecidos da cidade, como o Mineirão.

 

 

De quarta-feira (6) a domingo (10), o MIS Santa Tereza exibe 120 anos de BH. A programação traz produções recentes e outras que ainda não chegaram ao circuito comercial. A abertura, nesta quarta, terá a pré-estreia do documentário Entre uma pipoca, um beijo e um drops Dulcora, de Alfredo Alves. O pano de fundo são as antigas salas de cinema de rua. “O foco são as memórias afetivas de personagens de BH relacionadas com essas salas”, comenta Alves, que participa de debate após a exibição. Há depoimentos do ator e diretor Chico Pelúcio, do pesquisador Ataídes Braga e do estilista Ronaldo Fraga. Alves encontrou o casal Wanda e Cipriano Cândido, que começou a namorar no Cine Brasil.

Outras atrações são Elon não acredita na morte (2016), de Ricardo Alves Jr. (quinta, às 19h30); A cidade onde envelheço (2016), de Marília Rocha (sexta, às 19h30); O céu sobre os ombros (2011), de Sérgio Borges (sábado, às 19h30); e Baronesa (2016), de Juliana Antunes (domingo, às 19h).

MIS Produções de diretores mineiros ou que viveram em BH integram o acervo do Museu da Imagem e do Som (antigo Centro de Referência do Audiovisual). Na sede do espaço (Avenida Álvares Cabral, 560, Centro), há produções de belo-horizontinos da primeira metade do século 20, bem como filmes dos precursores Aristides Junqueira e Igino Bonfioli. O MIS guarda 40 mil rolos de filmes, além do acervo da TV Itacolomi, antigas filmadoras, câmeras e fotografias. Informações: mais.fmc@pbh.gov.br.

MOSTRA DE ANIMAÇÃO BH 120 ANOS
Fachada digital do Espaço do Conhecimento UFMG, na Praça da Liberdade. A partir desta terça-feira (5) e nos dias 7, 9, 10, 16, 19 e 23 de dezembro, às 20h.

MOSTRA 120 ANOS DE BH
De quarta-feira (6) a domingo (10). MIS Cine Santa Tereza, Rua Estrela do Sul, 89, Santa Tereza. Entrada franca. Informações: (31) 3277-4699.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA