Filme mais polêmico do Oscar entra em cartaz em Belo Horizonte

Inspirado em fatos reais, 'A hora mais escura' conta os bastidores da captura de Osama Bin Laden e concorre nas principais categorias da premiação

por Estado de Minas 15/02/2013 07:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Imagem Filmes/Divulgação
Segredos militares - riqueza de detalhes levantou suspeitas do governo americano (foto: Imagem Filmes/Divulgação )
Indicado a cinco Oscars, 'A hora mais escura', novo filme da diretora Kathryn Bigelow (vencedora de seis estatuetas da Academia de Hollywood por 'Guerra ao terror' em 2010), é a principal estreia da semana. Ficção com forte inspiração em fatos reais, o filme mostra os bastidores da superoperação protagonizada pelos Estados Unidos em 2011 para capturar o terrorista Osama Bin Laden. A força do filme está nos detalhes da operação, incluindo cenas de tortura – que o grande público não conhecia – que levaram Bin Laden à morte.

Tal riqueza de informações, colhidas na Agência Central de Inteligência norte-americana (CIA), levou inclusive senadores republicanos a criar comitê para saber se a diretora e o roteirista Mark Boal tiveram acesso a segredos militares. Há muitos que creditam isso ao fato de Bigelow não ter sido incluída na indicação a melhor diretor (a produção concorre a melhor filme, edição, edição de som, roteiro e atriz para Jessica Chastain).

Mesmo com a base documental, o filme traz muito de ficção. Na história, Maya (Chastain) é uma agente que chega a uma prisão secreta da CIA para observar os trabalhos do colega Dan (Jason Clarke). Este interroga um detido. Como ele se recusa a falar, é torturado. As torturas vão seguindo, até que Maya, agora endurecida, torna-se uma pessoa obcecada em eliminar Bin Laden.
 
Assista ao trailer de 'A hora mais escura':
 
 


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA