Quinze anos depois de ser banido, Brad Pitt anuncia que voltará à China

Ator estaria proibido de entrar no país por causa do filme Sete Anos no Tibet, de 1997

por AFP - Agence France-Presse 07/01/2013 18:11

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Stephen Lovekin/Getty Images/AFP
(foto: Stephen Lovekin/Getty Images/AFP)
O astro de Hollywood Brad Pitt escreveu um post nesta segunda-feira, 7, em uma rede social da China anunciando que em breve visitará o país. "É verdade. Sim, estou chegando...", postou o artista em sua conta no Sina Weibo, uma das redes sociais de microblogs mais populares da China.

Em sua publicação, não ficou claro que o protagonista de filmes como Clube da Luta e Onze homens e um segredo vai fisicamente à China. Muitos sites publicaram que Brad Pitt teria sido proibido de entrar no país após ter estrelado o filme Sete Anos no Tibet (1997).

Naquele ano, o jornal China Daily, ligado ao governo chinês, noticiou que Hollywood "nunca seria perdoada" por ter realizado uma série de longas na região.

A imprensa chinesa citou especialmente o filme protagonizado por Pitt, assim como Justiça Vermelha e Kundun, estrelado por Richard Gere e dirigido por Martin Scorsese. A China promove uma campanha sistemática contra o Dalai Lama, o líder espiritual tibetano no exílio, por sua luta pela independência do Tibet.

O jornal chinês publicou ainda que os filmes de Hollywood "distorceram totalmente os fatos e eventos históricos".

Em menos de seis horas após a publicação no microblog, a conta de Brad Pitt na rede social Sina Weibo foi bombardeada por comentários e somou mais de 100 mil seguidores.

"Traga Jolie também", dizia um dos comentários numa referência à bela celebridade Angelina Jolie com quem é casado. O governo chinês mantém um controle restrito da internet no país e bloqueia websites populares no Ocidente como Twitter e Facebook.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA