Retrospectivas das obras de cineastas são ponto alto do Indie 2012 em BH

Festival de cinema independente apresenta filmografia de autores pouco conhecidos no Brasil

28/08/2012 10:44

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
ANNE-CHRISTINE POUJOULAT/AFP
O Indie apresentará obras do norte-americano Charles Burnett, pouco conhecido no Brasil (foto: ANNE-CHRISTINE POUJOULAT/AFP)
O Indie 2012, que será realizado de 7 a 13 de setembro em Belo Horizonte e de 21 de setembro a 4 de outubro em São Paulo, terá como uma de suas principais atrações as retrospectivas dos cineastas Aleksey Balabanov, da Rússia; Charles Burnett, norte- americano; e Kazuyoshi Kumakiri, japonês. No programa, 60 filmes contemporâneos de 18 países, com destaque para os novos longas de Apichatpong Weerasethakul, Hotel Mekong; Naomi Kawase, Vestígio; e Brillante Mendoza, Em nome de Deus; além de Apenas o vento, do húngaro Benedek Fliegauf, vencedor do Grande Prêmio do Júri – Urso de Prata no Festival de Berlim deste ano.

A cinematografia de Balabanov traz a versatilidade estilística combinada com impressionante consistência temática. A Rússia – a burguesa, a dos bolcheviques, da Revolução de 1917, soviética e a pós-soviética, a em guerra com a Chechênia, a do início do século ou contemporânea – é mais que cenário para os filmes dele; é constituição social, ética e moral de suas histórias.

Um dos mais importantes diretores afroamericanos, Charles Burnett é, inexplicavelmente, pouco conhecido no Brasil. Seu primeiro longa, dirigido em 1977, O matador de ovelhas (Killer of sheep), foi resultado da sua dissertação de mestrado no curso de cinema. Por sua importância histórica, o Registro Nacional de Filmes dos EUA o incluiu na lista das 50 obras a serem preservadas, como tesouro nacional, pela Biblioteca do Congresso Nacional norte-americano.

Kichiku: banquete das bestas, obra política e extremamente violenta, foi o primeiro filme realizado, aos 23 anos, pelo diretor japonês Kazuyoshi Kumakiri. Causou comoção no Festival de Berlim em 1998. A terceira retrospectiva do Indie 2012 enfocará a carreira heterogênea de Kumakiri. Aos 38 anos, ele passou da violência para filmes de diferentes gêneros e formatos: dramas psicológicos, histórias de amor, desilusão e desesperança no Japão contemporâneo, ou filmes baseados em mangás. 

Apenas para BH, o cinema brasileiro contemporâneo estará no programa Indie Brasil. São cinco filmes nacionais inéditos em BH. O filme do cineasta, jornalista e crítico pernambucano Kleber Mendonça Filho, O som ao redor; Rânia, da cearense Roberta Marques; e os documentários Constantino, de Otavio Cury; e Futuro do pretérito: Tropicalismo now, de Ninho Moraes e Francisco César Filho. Para completar, o novo terror cômico do diretor curitibano Paulo Biscaia, Nervo craniano zero.

O Indie 2012 será realizado no Teatro Oi Futuro Klauss Vianna e no Cine Humberto Mauro, e em São Paulo no CineSesc e Cine Olido. Todas as sessões têm entrada franca. A programação completa está em www.inidefestival.com.br.
 




VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA