A falta que nos move instiga espectador em mistura de reality show e experimentação cinematográfica

Filme de Christiane Jatahy que borra fronteiras entre ficção e espontaneidade chega às lojas em DVD

por Carolina Braga 27/08/2012 09:22

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
(foto: Divulgação)
 
Primeira incursão da diretora teatral Christiane Jatahy no cinema, A falta que nos move é um filme que passou despercebido pelos cinemas de Belo Horizonte. Em Minas, foi exibido na edição 2010 da Mostra de Cinema de Tiradentes. O lançamento em DVD pelo Canal Brasil dá chance a mais espectadores de conferir essa que é empreitada bastante interessante. Ainda mais em tempos de reality shows. 
Com Cristina Amadeo, Daniela Fortes, Kiko Mascarenhas, Marina Vianna e Pedro Brício A falta que nos move investiga os limites da ficção e da realidade. O espectador carregará, durante os 100 minutos, a pergunta: será que isso aconteceu mesmo? Impossível saber. Trata-se de filme que, por meio do encontro de amigos, fala sobre a incompletude da vida. Na forma, é um exercício de experimentação.
Mais que o resultado surpreendente, o processo como foi feito é o que chama a atenção. A falta que nos move foi precedido de 10 regras determinadas pela diretora. Seria um longa com cinco atores, em uma única locação, com 12 horas contínuas de filmagem. Para isso, seriam usadas três câmeras simultâneas, com um detalhe: os atores seriam dirigidos durante a filmagem por mensagem de celular. No roteiro, estava estipulado que os atores esperariam uma pessoa, mas sem a certeza de que ela apareceria. Os atores cozinham, comem e bebem de verdade. Algumas histórias são reais, outras inventadas. E, por fim, ninguém poderia sair da casa, independentemente do que ocorresse.
Como o espectador tem conhecimento das regras, na medida em que o longa se desenrola o jogo fica cada vez mais envolvente. Christiane Jatahy conta que a maior dificuldade foi a edição. O material bruto contabilizava 36 horas de conteúdo ininterrupto. Por isso, há edição de extras de mais 14 minutos.
 
Assista ao trailer:


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA