Debate questiona fronteiras entre gêneros cinematográficos no Festival de Brasília

22/08/2012 11:05

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press
Poeta, crítico e professor de cinema, Ataídes Braga será o representante mineiro em debate em Brasília (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
As tendências do cinema contemporâneo são tema do debate Gêneros cinematográficos e suas interfaces, que integra a programação do 45º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, promovido na capital federal de 17 a 24 de setembro. O evento reunirá 30 filmes na mostra competitiva, disputando prêmios que somam R$ 635 mil. O debate será realizado no dia 19, às 17h, no Kubitschek Plaza Hotel, Salão Caxambu (DF), com entrada franca.
 
Ao longo de mais de 100 anos de história do cinema, foram surgindo diferentes tipos de filmes e também tentativas de
enquadrá-los: seja por gênero, temas ou escolhas estéticas, entre outras coisas. Embora cada filme seja único, alguns guardam semelhanças, o que permite agrupá-los em determinadas tendências.
 
Alguns gêneros se tornaram clássicos, como o western. A distinção entre cinema documentário e cinema de ficção, por exemplo, foi estabelecida logo nos primeiros tempos. Com o avanço da indústria cinematográfica, algo semelhante ocorreu em relação ao cinema de indústria e o de autor. Na produção contemporânea, tais fronteiras vêm sendo borradas e questionadas. 
 
Desse questionamento nasce o debate do festival, que será coordenado por Dácia Ibiapina, cineasta, professora e pesquisadora da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília. Entre suas realizações destacam-se os documentários Palestina do Norte: o Araguaia passa por aqui (curta, 1998), O chiclete e a rosa (curta, 2001) e Entorno da Beleza (longa, 2012)
Na mesa, os especialistas Ataídes Braga, Eduardo Santos Mendes, Guile Martins e Adirley Queirós. A mediação será de Erika Bauer, cineasta e professora da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília. Ela é produtora e diretora de filmes como Com a liberdade na terra (curta, 1987) e Dom Quixote do Araguaia (longa, 2011).
 
Adirley Queirós é graduado em cinema pela UnB, mora em Ceilândia (DF) e integra o coletivo Ceicine. Ataídes Braga, de Minas, é poeta, crítico e professor de cinema, roteirista e diretor de produção. Atua como docente na Universidade UNA, em BH. De São Paulo, participam o professor da ECA-USP Eduardo Santos Mendes e Guile Martins, formado em audiovisual pela ECA-USP, com especialização em som.
 
A 45ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro tem coordenação geral de Sérgio Fidalgo e coordenação adjunta de Graça Coutinho. Informações: www.festbrasilia.com.br.


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA