Aos 12 anos, paulista é ator com reconhecimento internacional

Aos 12 anos, o paulista Lino Facioli se dedica à carreira de ator. Protagonista do longa O menino no espelho, ele mora em Londres e integra o elenco da série Game of thrones

por Ana Clara Brant 19/08/2012 09:55

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Gustavo Baxter/divulgação
Lino Facioli se mudou para Londres aos 4 anos, adora sorvete a quilo e veio a Minas fazer seu primeiro longa-metragem brasileiro (foto: Gustavo Baxter/divulgação)

Uma das séries mais aclamadas pela crítica e pelo público, Game of thrones prepara sua terceira temporada. A produção norte-americana do canal HBO, inspirada em histórias de As crônicas de gelo e fogo, mostra violentas lutas dinásticas entre nobres para controlar o Trono de Ferro de Westeros. As gravações já estão a todo o vapor em países como Irlanda, Croácia, Islândia e Marrocos. Em setembro, um brasileiro vai se juntar novamente ao elenco: o paulista Lino Facioli, de 12 anos, que interpreta Robin Arryn.

Na série literária, o jovem nobre, franzino e doente, é conhecido por seu comportamento antipático e chorão. “É uma honra participar desse elenco tão bom e de uma produção tão bacana. Meu papel é bem interessante, porque não é igual à maior parte dos personagens infantis, geralmente bonzinhos e normais. Robin é meio desequilibrado e problemático. Não sei até quando ele continua, mas torço para que seja por muito tempo”, comenta Lino. O desenvolto garoto revela: nunca leu os livros que inspiraram o seriado.

O ator voltou ao Brasil em junho. Veio participar de sua primeira produção nacional: o longa-metragem O menino no espelho, baseado no romance homônimo de Fernando Sabino. Lino nasceu em Ribeirão Preto, no interior paulista, e se mudou para a Inglaterra com os pais, o ilustrador Cako Facioli e a designer Cláudia Schmidek, quando tinha apenas 4 anos.

Ele sempre gostou de vestir fantasias e interpretar personagens. Quando tinha 7 anos, Cláudia o matriculou numa escola de teatro. “Aí, fiquei com vontade de fazer algo profissional mesmo, de trabalhar no cinema e tal. Minha mãe achou outra escola, que tinha uma agência de talentos, e estou lá até hoje. Mas nunca imaginei que tanta coisa fosse acontecer”, destaca Lino.

O currículo é respeitável para um garoto de 12 anos: ele trabalhou no filme Get him to the greek (O pior trabalho do mundo), na série cômica Armstrong & Miller show e na peça Little eyolf, de Henrik Ibsen. Lino fez ponta no filme Broken e comercial com Garth Jennings, diretor do longa O guia do mochileiro das galáxias, além de vários curtas e de um videoclipe.

“O menino no espelho é meu primeiro filme infantil, o primeiro em que atuo em português. Nunca foi problema falar o idioma. Nem tive sotaque de gringo, porque falo português em casa. Às vezes, era só um leve cantado em inglês. Mas precisei treinar ‘mineirês’ com a fonoaudióloga e perder o cantado”, revela o artista.

No longa-metragem do diretor mineiro Guilherme Fiúza Zenha, Lino interpreta os protagonistas da história: o garoto Fernando e Odnanref, criatura que surgiu do reflexo dele no espelho. Entre seus colegas de elenco estão Mateus Solano, Regiane Alves e Ricardo Blat.
 
Vida normal Fã de Harrison Ford, Bill Murray e Chico Anysio – “infelizmente, só teria a chance de contracenar com ele no céu”, lamenta –, Lino tem vida atribulada. Mas ele garante: sua rotina em Londres, onde mora, é a de um menino comum. Vai à escola, brinca com os amigos, passeia e sempre reserva tempo para as atividades favoritas: desenhar, ler, andar a cavalo, ouvir música, assistir a filmes e desenhos, além das aulas de aikidô (arte marcial japonesa).

“Minha vida é como a de qualquer criança normal. Nada de excepcional, a não ser quando vou a audições ou gravo alguma coisa”, acrescenta Lino, que é filho único.

Sorvete As filmagens de O menino no espelho chegaram ao fim, depois de cenas rodadas em Cataguases e Miraí, na Zona da Mata mineira, e no Rio de Janeiro. Encerrado o expediente, Lino seguiu com o pai e a mãe para passar uns tempos na casa da família, em Ribeirão Preto, antes de voltar para a Europa no começo de setembro.

Independentemente de onde estiver, Lino não pretende abrir mão da profissão. “Sempre quis ser ator e pretendo continuar sendo. Mas gosto muito de desenhar e gostaria de ser ilustrador”, diz. Ele confessa ter saudades do Brasil, sobretudo da família, dos primos e dos amigos de Ribeirão Preto. “Sinto falta de sorvete a quilo, da casa dos meus avós, de festas, praias e de andar a cavalo com minha tia”, conclui.

• Currículo

» O menino no espelho – Longa-metragem. Lançamento em 2013
» The boy with chocolate fingers – Curta-metragem
» Broken – Longa
» Game of thrones – Série de TV
» The last ten – Curta
» The Armstrong and Miller show – Série de TV
» O pior trabalho do mundo – Longa
» Awfully deep – Curta

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA