Anima Mundi começa nesta quarta-feira em São Paulo

Serão exibidos mais de 500 filmes até domingo

25/07/2012 09:45

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Gabriel Bouys / AFP
(foto: Gabriel Bouys / AFP)
Desta quarta-feira até domingo, a capital paulista recebe o Anima Mundi, o maior festival de animação do Brasil, um dos mais respeitados do mundo. Ao completar 20 anos, o evento aumentou o número de filmes. Em média, não passavam de 400. Este ano, serão mais de 500, sendo 448 na mostra competitiva. Desde o ano passado, o evento brasileiro foi qualificado para fazer indicações na categoria de melhor curta-metragem de animação do Oscar, o que deixa as produções do país mais perto da estatueta dourada. “Para concorrer, o filme precisa ganhar um festival qualificado pelo Oscar ou ser exibido em salas especiais em Los Angeles, o que só é possível para grandes estúdios. Agora, animadores brasileiros que vencerem o Anima Mundi estão automaticamente pré-selecionados ao prêmio”, explica Aída Queiroz, diretora do evento. Importante apoio ao festival vem do carioca Carlos Saldanha, diretor dos três primeiros filmes da série A era do gelo e do longa de animação Rio. Ele bancou o prêmio batizado com seu nome, que contempla o melhor curta infantil e o melhor curta produzido por estudante. Os vencedores são, respectivamente, Linear, de Amir Admoni, e O rei Gastão, de Diogo Viegas. Cada um levou R$ 4 mil. Na edição carioca do festival, encerrada domingo, chamaram a atenção filmes dedicados a temas engajados socialmente e a denúncias. A animação chinesa Ketchup, de Bai Shen Yan e Chunning Go, conta a história de um garoto da China, criado numa fábrica em meio à opressão política dos anos 1980. O suíço Bon voyage trata das imigrações ilegais na Europa, enquanto Abuelas, de Afarin Eghbal, aborda protestos das argentinas na Praça de Maio, em Buenos Aires.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA