Bloco Fúnebre desfila em BH para sepultar as tristezas e ressuscitar as alegrias

Centenas de pessoas acompanharam o bloco da Praça da Bandeira até a Praça Milton Campos, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte

por João Henrique do Vale 01/03/2019 22:50

Marcos Vieira/EM/D.A.Press
(foto: Marcos Vieira/EM/D.A.Press)

O tradicional colorido do carnaval deu lugar às cores preta e branca na Praça da Bandeira, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.  Em vez das fantasias de unicórnio, sereias e heróis, monstros e zumbis foram a inspiração dos foliões que acompanharam o Bloco Fúnebre. O lema da agremiação, que arrastou centenas de pessoas na capital mineira mesmo embaixo de chuva, é um só: sepultar as tristezas e ressuscitar as alegrias. E foi exatamente assim que o grupo desfilou até a Praça Milton Campos.

Ver galeria . 9 Fotos Marcos Vieira/EM/D.A.Press
(foto: Marcos Vieira/EM/D.A.Press )

 

O bloco nasceu há seis anos tendo com inspiração o Dia dos Los Muertos, que é celebrado no México. O objetivo da agremiação é justamente enterrar a tristeza e trazer a alegria para o carnaval. “Este lema nunca foi tão representativo como neste ano, em que tivemos muita tristeza. Então, vamos esquecer os problemas para viver o carnaval”, diz a cantora Flávia Ribeiro, de 34 anos, uma das organizadoras.

 

A concentração do grupo começou por volta das 21h. A todo momento, a Praça da Bandeira recebia as diversas fantasias de monstros. Os amigos Elias Peixoto, de 39 anos, Luiz Gustavo Pimenta, de 37, e Ana Carolina, de 35, chegaram cedo se aproveitando que moram próximo ao local. Carol, como é chamada pelos colegas, quem fez as pinturas nos rostos. “Olhei na Internet e desenhei”, conta.

O empresário Elias foi ao bloco pela primeira vez. “Achei interessante a ideia inspirada no México”, disse. “Espero que o carnaval deste ano seja realmente o melhor da história. Até deixei de viajar para ficar aqui e aproveitar”, completou. O redator publicitário Arom Mokai, de 19, improvisou a fantasia para curtir o bloco. “Já tinha descolorido o cabelo. Abri o guarda-roupa e peguei a roupa no improviso”, afirmou.

O vendedor Rodrigo Viegas, de 40, acompanha o bloco desde a criação. Segundo ele, o grupo se uniu bastante durante o período. “Foi criada uma grande amizade. Então, muita gente vem por causa da companhia do pessoal”, comentou. “O bloco é justamente para enterrar a tristeza e trazer a alegria no carnaval. Por isso, sempre abrimos a folia na sexta-feira”, finalizou.

No repertório do bloco, que conta com instrumentos de sopro, estão ritmos variados. Vai do samba, marchinhas de carnaval, heavy metal, jazz, cirandas e reggae.

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']