UAI

Renata Vasconcellos cita conexão 'sobrenatural' com William Bonner no JN

A jornalista participou do Conversa com Bial, na última sexta-feira (31/03)

Renata Vasconcellos cita conexão 'sobrenatural' com William Bonner no Jornal Nacional Reprodução/Instagram
Douglas Lima - Especial para o Uai clock 01/04/2023 13:18
compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp SIGA NO google-news

Renata Vasconcellos e William Bonner dividem a bancada do Jornal Nacional, da TV Globo desde 2014. A longa parceria foi fundamental durante a pandemia da Covid-19.

Leia Mais

No Conversa com Bial, na última sexta-feira (31/03), a âncora revelou que a conexão "sobrenatural" com seu companheiro de bancada a ajudou a superar momentos difíceis no Jornalismo. Renata revelou que William ligou para ela no começo da pandemia e pediu para que eles dessem suporto um para o outro. Os dois suspenderam suas folgas e fins de semana livres para se dedicaram à cobertura.

 

"Me lembro que quando começou, o Bonner me ligou e perguntou: 'Renata, você está preparada?', e eu respondi 'estou', então ele disse: 'vamos juntos'. Então suspendemos folgas, finais de semanais, estávamos juntos", afirmou a jornalista.

 

"Muitas vezes, só com o olhar, a gente se ajudava", destacou a comunicadora. "Aquele momento em Manaus, em que as pessoas não conseguiam oxigênio para respirar... As pessoas, internadas, sem a possibilidade de um oxigênio para dar apoio, porque não tinha... Aquilo muitas vezes me deu falta de ar. No ar. E eu tive ajuda do Bonner... Às vezes, era só um olhar de 'eu vou, você vai', e pronto", acrescentou ela, em referência ao período de caos da pandemia em Manaus, capital do Amazonas, em janeiro de 2021.

 

apresentadora do JN admitiu que esse foi o momento mais difícil de sua carreira, apesar de participado de outras coberturas difíceis - uma delas, inclusive, na sua estreia no telejornal em 2011, teve de reportar enchentes e deslizamentos na Serra dos Órgãos, no Rio de Janeiro.

 

"Me marcou muito, não só no aspecto profissional, mas especialmente na parte pessoal. Você vivenciar, ver de perto, as pessoas naquele desespero... Muitas pessoas ainda estavam mortas, os corpos não tinham sido resgatados ainda. Um cenário de tragédia absoluta. Então, [é difícil] você conciliar ao mesmo tempo esse pragmatismo de levar informação, de informar as pessoas do que está acontecendo ali, e ao mesmo tempo segurar a emoção, que é muito grande", relembra.

"Tinha momentos em que eu entrevistava com as lágrimas escorrendo dos meus olhos, e eu me afastando um pouco pra câmera não me pegar. E eu resistindo para poder fazer a próxima pergunta, e as lágrimas escorrendo. Isso a gente leva com a gente para sempre".

Renata Vasconcellos

Vale destacar, que Renata Vasconcellos esteve presente na primeira transmissão da GloboNews, ao lado de Eduardo Grillo, em 1996; e na Globo, trabalhou no Jornal Hoje e no Bom Dia Brasil, além de fazer reportagens para o Jornal Nacional e apresentar o Fantástico, antes de assumir o cargo atual no JN.

compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp