UAI

Preta Gil fala sobre morte de Jéssica e nega ligação da Mynd8 com a Choquei

Jéssica Vitória Canedo tirou a própria vida após uma fake news de que seria o novo affair de Whindersson Nunes

Preta Gil fala sobre morte de Jéssica Vitória e nega ligação da Mynd8 com a Choquei Reprodução/TV Cultura
Douglas Lima - Especial para o Uai clock 06/03/2024 09:28
compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp SIGA NO google-news

Na noite desta segunda-feira (04/03), em alusão à Semana da Mulher, Preta Gil participou pela primeira vez do Roda Viva, na TV Cultura e falou sobre o caso Jéssica Vitória Canedo, mineira que tirou a própria vida após ser apontada como affair de Whindersson Nunes. Os dois negaram qualquer tipo de relação.

Leia Mais

À época, a Choquei e outras páginas de fofoca nas redes sociais veiculam prints de supostas conversas entre Whindersson e Jéssica. Vale destacar, que a página já foi um dos agenciados pela Mynd, agência de marketing de influência que tem a cantora como uma das sócias.

 

Após a morte da jovem, o perfil passou a ser alvo de duras críticas - e, também, de ataques de ódio e de novas notícias falsas. A artista reforçou que a Choquei não possuía mais vínculo com a Mynd quando tudo aconteceu.

 

"Primeiro de tudo, meus sentimentos à família da Jéssica. Era uma tragédia, assim, anunciada, a gente tinha que falar seriamente sobre isso. A Mynd não tem nenhuma ligação ou relação com a Choquei. Lá atrás, em 2018, eles faziam parte, mas logo depois saíram", detalhou.

 

Preta ainda afirmou que a campanha difamatória contra sua empresa teve motivação política. "O que aconteceu é que, pegaram um print do site, onde ainda tinha a logo da Choquei e, por mil questões, que depois a gente foi mapeando, a gente viu que tinha uma ligação extremamente política em ligar meu nome com o que tinha acontecido, infelizmente, nessa fake news [de que a Choquei era agenciada pela Mynd]", comentou.

 

A filha de Gilberto Gil ainda explicou que, quando a Choquei ainda estava na agência, o perfil participava de um "conglomerado", que ligava os digitais influencers às ativações e publicidades das marcas e, apenas isso. "A gente tem um serviço, que é a banca digital. Esse trabalho é o de agenciar esses perfis, fazer a ligação deles com marcas", reforçou.

 

Ainda em entrevista, ela explicou o motivo de demorar a se pronunciar sobre o assunto. "Foi muito difícil, porque era uma inverdade, era uma fake News. A gente entendeu que ali, naquele momento, não era a hora de eu me colocar e falar. Se eu falasse sobre isso, eu ia trazer essa notícia pro meu tamanho. Muitas pessoas que não tinham sido atingidas por aquilo iam acabar sendo", desabafou.

"Na internet, as pessoas não estão preocupadas em saber a verdade. Elas não buscam a verdade, elas vêm e dão aquilo como uma verdade, vira verdade absoluta. Em relação a esse episódio, a gente não tinha relação nenhuma com o que estava acontecendo".

Preta Gil

"Foi com o objetivo de prejudicar. Prejudicar a minha imagem, meus negócios. A gente conseguiu com muita força, eu e meus sócios, com a credibilidade que a gente tem no mercado, aos agenciadores, aos nossos clientes, a gente passou por essa barra e só se fortaleceu. E, agora, a gente traz uma prática, que é de ter mais ética nesse meio digita", finalizou.

 

Confira, abaixo, um trecho da entrevista:

compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp