UAI

Tramontina critica Maitê Proença e Carolina Ferraz por processarem a Globo

Atrizes pedem indenização em busca de terem os seus reconhecimentos por direitos trabalhistas

Reprodução/Instagram/Divulgação/Montagem Reprodução/Instagram/Divulgação/Montagem
Douglas Lima - Especial para o Uai clock 28/07/2022 20:00
compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp SIGA NO google-news

Carlos Tramontina, que recentemente deixou o quadro de funcionários da TV Globo, detonou ex-colegas que saíram da emissora e passaram a criticá-la, e citou as atrizes Maitê Proença e Carolina Ferraz que, após terem sido dispensadas da empresa, acionaram a Justiça do Trabalho em busca de direitos trabalhistas.

Durante entrevista ao Flow Podcast, o jornalista foi questionado por Marcelo Tas sobre o que pensa das pessoas que detonam a Globo após serem demitidas e ele rasgou o verbo. Tramontina destacou que se tratar de um comportamento hipócrita, pois muitos desses ex-globais que hoje criticam o canal da família de Roberto Marinho (1904-2003) passaram anos lá, e só agora falam mal da antiga casa.

 

"Eu me decepcionei muito. Acho o seguinte cara: você ficou 20 anos fazendo o negócio e serviu, agora não presta? Mais que hipocrisia é essa?! Eu vi outro dia as duas atrizes, a Maitê e a Carolina, agora processam a Globo por direitos trabalhistas, mas quando eram pessoas jurídicas pagavam menos imposto e agora querem recuperar os direitos trabalhistas. [Elas] vão devolver para a Receita o que deixaram de recolher? O que é isso? Acho que criticar, avaliar o trabalho, ter uma visão critica do trabalho faz parte, mas você dizer que aquela empresa que você ficou isso, isso, isso, agora não presta é muito estranho", disparou.

 

comunicador reforçou que não conhece pessoalmente Ferraz e Proença, elogiou o talento das duas veteranas, mas destacou que citou as artistas devido ao fato delas terem unidos forças em um processo que é público contra a antiga empregadora.

"Não tive a alegria de conhecê-las pessoalmente, atrizes maravilhosas, mas é que são dois exemplos que foram colocados publicamente. Eu acho muito estranho, dentro dessa condição, depois que você fez por muito tempo, aí não dá mais. Tem algumas pessoas que eu acho que não se conformam em sair da Globo, ser obrigado a sair da Globo, porque elas se consideram grandes, e veem isso como inaceitável".

Carlos Tramontina

Confira, abaixo, um trecho da entrevista:

Atrizes processam a TV Globo

Dispensadas da Globo em 2016, Carolina Ferraz e Maitê Proença se uniram em um processo contra a emissora na tentativa de terem mais forças contra o conglomerado de mídia na Justiça.

 

Maitê abriu o caso em 2018 e pede R$ 500 mil de indenização em busca de ter o seu reconhecimento por direitos trabalhistas e do vínculo empregatício, já que seu contrato era por PJ (Pessoa Jurídica) e não pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), que garante benefícios e segurança ao empregado.

 

Carolina, que também processa a emissora e pede reparação de R$ 7 milhões de idenização, foi testemunha de Proença e, em depoimento judicial, ela disse não ter detalhes de como Maitê e o canal firmaram contrato, mas ressaltou que, em seu caso particular, ela foi "obrigada" pela TV Globo a assinar o contrato fora da carteira de trabalho. O caso da atual apresentadora do Domingo espetacular, da Record TV, está parado desde 2020.

compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp

Uai Indica