UAI

Marcelo Adnet revela que foi salvo pelo avô de um estupro

Em entrevista a podcast, comediante afirmou que é preciso falar sobre o assunto para conscientizar sobre a importância da educação sexual

Marcelo Adnet contou ter sofrido abuso sexual Reprodução/YouTube
Douglas Lima - Especial para o Uai clock 19/01/2023 23:47
compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp SIGA NO google-news

comediante Marcelo Adnet, de 41 anos de idade, relatou ter sido vítima de abuso sexual na infância. Em entrevista ao podcast Podpah, na última terça-feira (17/01), ele disse que tinha cinco anos quando um conhecido da família o violentou.

Leia Mais

piadista afirmou, ainda, que só não houve penetração sexual, porque seu avô chegou em casa na hora e evitou que o abuso continuasse. "Fui estuprado aos cinco anos de idade, mas o cara não chegou a m*ter mesmo, ele ia m*ter, meu avô chegou, tinha esquecido a carteira em casa. Fui salvo", revelou.

 

"Mas foi uma experiência que, c*ralho, eu falei assim: 'Opa, o ser humano é um negócio perigoso'. Talvez por isso eu seja tímido. Claro! Pensei: 'O ser humano é um filho da p*ta que vai querer comer meu c*. Não é um cara legal, um cara maneiro", acrescentou o humorista.

 

Segundo o relato, os pais de Adnet só descobriram o que havia acontecido muito tempo depois. O artista disse que perguntou aos genitores sobre HIV pois pensou que pudesse ter contraído o vírus: "Aos 12, eu descobri que existia a Aids. Eu fiquei assim: 'Estou com Aids'".

 

"Falei para a minha mãe e meu pai: 'Mas e se enfiar rapidinho, não enfiar direito, só começar… Pega Aids?' Meus pais falaram que sim e eu, com 12 anos, pensei: 'Talvez eu seja aidético'. Aí um dia eu contei pra eles. Eles ficaram: 'Meu Deus'. Ninguém sabe mais onde o cara tá, enfim", recordou.

 

Durante o bate-papo, Marcelo Adnet afirmou que é preciso falar sobre o assunto para conscientizar sobre a importância da educação sexual contra o abuso infantil. "Tem que olhar criança, mesmo. Não dá mole, não! Não pode confiar, largar a criança, tem que ficar em cima. Tem que ter educação! (…) O que eu vejo do futuro, eu vejo um lugar feliz, tranquilo, onde eu seja amigo da minha filha. É a coisa que eu mais quero, ser amigo dela. O melhor amigo é da idade dela, claro, mas um cara que ela confia. Um pai que ela confia, que me apresenta para o namorado, que me apresenta. Quero que minha filha me ensine", finalizou.

 

Confira, abaixo, a entrevista na íntegra:

compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp