Game of thrones estreia hoje sua sétima e penúltima temporada

Mais premiada série de TV de todos os tempos terá a temível chegada do 'inverno', que promete tornar a trama ainda mais movimentada

por Pedro Galvão 16/07/2017 10:00
HBO/DIVULGAÇÃO
(foto: HBO/DIVULGAÇÃO)

“O inverno chegou.” Diante dos recentes recordes negativos de temperatura em BH e em outras cidades mineiras, a frase soa óbvia. Mas, para uma enorme massa de fãs ao redor do mundo, trata-se de uma profecia feita há seis anos, que finalmente vai se cumprir a partir de hoje, com a estreia da sétima e penúltima temporada de Game of thrones (HBO), o seriado mais premiado de todos os tempos. Se você não foi contagiado pela febre, continue a leitura para entender as razões do frenesi mundial em torno de GoT (para os íntimos).


À primeira vista, Game of thrones pode parecer apenas mais uma produção com temática medieval, dragões, reis, cavaleiros e espadas. Assistindo um pouco mais, o espectador percebe algo além. Se não ficar perdido entre os diálogos que remetem a uma grande e complexa sequência de acontecimentos anteriores e mudar de canal, provavelmente verá alguma decapitação e outras cenas de violência extrema (inclusive contra crianças), sexo (inclusive entre pessoas de mesmo gênero), estupro, nu frontal, além de batalhas grandiosas, todas com um padrão técnico muito apurado, digno das maiores produções de Hollywood.


Essa fórmula transformou o “jogo” ou a Guerra do tronos, na tradução oficial, em um fenômeno mundial. Inspirada na série de livros As crônicas de gelo e fogo, do escritor norte-americano George R. R. Martin, a trama criada por David Benioff e DB Weiss dá conta de uma realidade fictícia onde existem dois continentes: Westeros e Essos, análogos, respectivamente, à Europa e ao Oriente Médio em algum momento do fim da Antiguidade ou começo da Idade Média. Apesar dos elementos em comum, não há conexão com a história real que conhecemos. A geografia também difere da existente.


Nesse mundo imaginário, a grande semelhança com a realidade é o poder no centro de tudo. Westeros é dividida em sete reinos, cada um comandado por uma casa real diferente, mas todos submetidos à autoridade maior do Trono de Ferro, cujo ocupante (rei ou rainha) é soberano. A história mostrada pela HBO desde 2011 começou com Robert Baratheon (Mark Addy) no cargo máximo. Ele sucedia Aerys, da dinastia Targaryen, destituído na revolta comandada por Robert em companhia do amigo Ned Stark (Sean Bean) e morto pelo membro de sua Guarda Real Jamie Lannister (Nikolaj Coster Waldau), que mantém uma relação incestuosa com a rmã Cersei (Lena Headey), mulher de Robert e nova rainha.


Aerys foi considerado louco por incinerar os próprios súditos com um material flamejante chamado “fogo vivo”. Por isso, seus vassalos se voltaram contra ele. Sua dinastia foi praticamente exterminada, não fossem seus dois herdeiros, Viserys e Daenerys, exilados quando ainda crianças para Essos. Quando a série começa, os dois já estão maiores e pretendem retornar à terra natal e retomar a coroa. Porém, eles não são os únicos a cobiçar ou se achar no direito de assumir o Trono de Ferro. Outros vários personagens também o desejam, formando uma enorme teia de intrigas, guerras, alianças, traições e reviravoltas surpreendentes, que sustenta a trama até aqui, ao longo de seis temporadas de 10 episódios (com aproximadamente uma hora de duração).

CAMINHANTES
Além da disputa pelo trono, uma ameaça sobrenatural permeia a saga. Ao norte de Westeros há uma região gelada, isolada por uma enorme muralha, habitada por selvagens e mortos-vivos de gelo chamados “caminhantes brancos”. Eles têm o poder de transformar outros mortos em figuras como eles, podendo assim criar um exército de zumbis maior do que qualquer outro. Para muitos, esse é o maior inimigo possível na região, daí a terrível profecia de que “o inverno está vindo”, presente desde o começo. Vale lembrar que na fantasia de Game of thrones as estações, como o inverno e o verão, podem durar anos e a temporada que estreia hoje trará, finalmente, o inverno, além de embates aguardados há muito tempo por quem acompanha a saga daqueles que cobiçam o Trono de Ferro.


O último episódio da sexta temporada foi visto por 8,9 milhões de pessoas nos Estados Unidos, recorde na TV norte-americana. O número de espectadores aumentou a cada temporada exibida. O fim da primeira temporada foi assistido por pouco mais de 3 milhões. A produção também entrou para a história na visão da crítica. Com 38 prêmios conquistados desde que estreou, Game of thrones se tornou o maior vencedor do Emmy, a mais importante premiação da TV mundial.

Coincidência ou não, a temática da série apresenta muitas semelhanças com a fantasia de O senhor dos anéis, produção cinematográfica mais premiada na história Oscar, com 11 estatuetas conquistadas por O retorno do rei, em 2003. De certa forma, GoT também congrega aspectos de outras das séries mais populares da atualidade: muitas mortes e zumbis, como em The walking dead, e um surpreendente thriller político, semelhante a House of cards.

 

Outro ponto que torna a produção fascinante para os fãs é a existência de um “universo expandido”, assim como acontece em Star wars. Ou seja, existem várias histórias intrínsecas à trama televisiva ainda não mostradas, além da trama escrita nos livros de George R. R. Martin. É um ambiente propício para os fãs imaginarem teorias e fazerem conjecturas a respeito do futuro da saga.

Exibida em 170 países pela HBO, a produção é internacional também em sua realização. Criada por norte-americanos, gravada em países como Croácia, Islândia, Malta, Espanha, Marrocos e Irlanda do Norte, a série tem um elenco formado por artistas de várias nacionalidades.


Emilia Clarke (Daenerys Targaryen) é inglesa, assim como Kit Harington (Jon Snow). Lena Headey é de Bermudas, enquanto Nikolaj Coster Waldau é dinamarquês. O Brasil está presente com Lino Facioli, de 16 anos, que já apareceu em temporadas anteriores como o pequeno e petulante Robin Arryn

Temporada traz revelações


Nesta penúltima temporada, Jon Snow tentará, como Rei do Norte, exercer uma liderança mais justa, sem penalizar os herdeiros das Casas que um dia traíram o clã que o criou, os Stark. Sua meia irmã, Sansa Stark (Sophie Turner), está de volta ao lar, em Winterfell, e Petyr Baelish, o Mindinho (Aidan Gillen), mantém-se sempre por perto na suposta função de apoiá-la, mas o que ele quer mesmo é manipulá-la e forçar uma aliança, de olho no cobiçado trono dos Sete Reinos.
Cersei Lannister ocupa o Trono de Ferro. Na fase anterior da série, a cruel e vingativa soberana perdeu o último de seus três filhos. Nesta temporada, a trama vai explorar quem é verdadeiramente a monarca sem a sua prole. O amor aos herdeiros era a única coisa que a humanizava. Um dos temas centrais será a personalidade de Cersei, segundo os roteiristas e produtores David Benioff e Dan Weiss.


Outra personagem feminina importante, Daenerys Targaryen navega rumo ao continente com seus exércitos. Sua chegada, junto de seus três (supercrescidos) dragões, será apoteótica. “Dany em Westeros faz de Game of thrones uma nova série”, afirmou o coprodutor-executivo Bryan Cogman à Entertainment weekly.


O temido e sempre citado inverno chegou e com ele uma terrível ameaça: os caminhantes brancos liderados pelo Rei da Noite (Richard Brake), figura impiedosa que ganha destaque na sétima temporada. Outra novidade será a presença do astro musical Ed Sheeran como parte do elenco, porém com participação breve. (Com Estadão Conteúdo)

 

Quem é quem

 

» Daenerys Targaryen (Emilia Clarke)
Filha de Aerys II, o Rei Louco, destituído e assassinado, ela foi exilada de Westeros ainda criança com seu irmão mais velho, Viserys, que pretendia retornar e retomar o trono. Inicialmente, ela foi oferecida em casamento a um líder do povo Dothraki em troca de apoio militar nessa reconquista pretendida pelo irmão, mas o rumo das coisas muda e a própria Daenerys é quem desponta como postulante ao trono perdido pela família. Presenteada com três ovos de dragão, criatura que todos pensavam não mais existir, ela descobre ter o poder de não se queimar e vê as criaturas nascerem sob seus cuidados. Por isso é conhecida como A Mãe dos Dragões. Depois de um longo périplo por Essos, onde matou tiranos, libertou escravos e conquistou aliados, a pragmática heroína retornará a Westeros na sétima temporada, com seus dragões e um grande exército para recuperar o Trono de Ferro.

 

» Jon Snow (Kit Harington)
Inicialmente, é o filho bastardo de Ned Stark, o lorde mais importante do Norte. Ele escolhe servir a Patrulha da Noite, uma espécie de guarda que defende a grande muralha dos selvagens e dos zumbis de gelo. Quem faz essa escolha não pode se casar, nem mesmo se relacionar com ninguém fora dali. Corajoso e íntegro, ele se torna um herói para muitos que estão ao seu redor, o que também o faz ser odiado por outros. A nova temporada promete revelações sobre sua real origem.

 

 

 

» Cersei Lannister
(Lena Headey)
Começa a trama como a rainha de Westeros, por ser casada com o então rei Robert Baratheon. Tem três filhos, frutos da relação adúltera e incestuosa que mantém com seu irmão gêmeo, Jamie, que abdicou do direito de se casar para servir à Guarda Real. Cruel e sádica, ela pratica terríveis vilanias ao longo da história no intuito de manter-se no poder.

 

 

 

» Tyrion Lannister
(Peter Dinklage)
É o irmão mais novo de Cersei e Jamie. Amante de farras e bebedeiras, o anão boa praça é uma espécie de anti-herói da saga. Renegado por sua família, tanto pelo comportamento quanto pela aparência física, ele está sempre presente nas articulações políticas da trama e constantemente se metendo em situações de risco. Irônico, é responsável também pelos poucos momentos de humor da produção. Depois de romper completamente com sua poderosa e perigosa família, estará ao lado de Daenerys na sétima temporada.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SÉRIES E TV