Gratidão pode transformar a vida profissional e pessoal

Sentimento é comprovadamente capaz de transformar pensamentos e atitudes

por Agência Estado 17/04/2017 12:00
Reprodução/Internet/Marcia Luz
(foto: Reprodução/Internet/Marcia Luz)

Praticar a gratidão pode transformar a vida profissional e pessoal de quem se propõe a isso. A constatação é do palestrante e autor do livro Ouse ser Grande, Mauricio Souto. Em sua obra, que é resultado de muitas pesquisas e estudos, o autor comprovou que a gratidão é um sentimento poderoso capaz de alterar pensamentos e atitudes de forma espontânea.


Segundo o palestrante, quando somos gratos, surgem ideias e lampejos intuitivos que nos colocam em um estado criativo, favorecendo a realização de desejos e metas. "A vida sempre tende a dar o melhor para aquele que sabe reconhecer o real valor das coisas", diz. Se é impossível ficar triste, estressado, deprimido ou preocupado, quando existe uma profunda sensação de gratidão, o autor explica os motivos que levam poucas pessoas a praticarem esse hábito.

"Somos educados a olhar apenas para o que não temos, e sentir falta das coisas. É o que chamamos de crença na escassez. Quando fazemos isso, ficamos questionando nossas vidas, reforçando uma mensagem em nosso consciente de que 'eu não tenho e não serei feliz até que tenha'. assim fica difícil de ser grato", explica.

O autor ressalta que a vida flui na direção daquilo que as pessoas dão maior ênfase e explica que, ao persistir no ato de agradecer, as pessoas têm mais satisfação, alegria e bem-estar. "As pessoas bem-sucedidas não perdem tempo com assuntos que não contribuem com o seu crescimento pessoal e profissional. Lamentação, reclamação e descontentamento só tendem a gerar mais experiências negativas", diz Souto.

Quem não sabe por onde começar, o autor ensina um exercício que pode ajudar na prática da gratidão. "Pare um minuto. Escreva alguma coisa pela qual você deve ser agradecido. Escreva como você se sente grato e compartilhe com outras pessoas. Se pararmos para observar, constataremos mais pessoas reclamando do que agradecendo", ensina.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA