Brasil confirma 508 casos microcefalia e investiga outros 3.935 casos suspeitos

Boletim anterior indicava um total de 462 casos confirmados de bebês que nasceram com microcefalia, sendo 41 deles relacionados à infecção pelo vírus Zika

por Redação 17/02/2016 12:04

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
João Carlos Lacerda / Divulgação FAV
Ao todo, 5.280 casos suspeitos de microcefalia foram registrados desde o início das investigações em 22 de outubro de 2015 até 13 de fevereiro de 2016 (foto: João Carlos Lacerda / Divulgação FAV )
O Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira (17/02) que investiga 3.935 casos suspeitos de microcefalia. O novo boletim aponta que 508 casos já tiveram confirmação de microcefalia e/ou outras alterações do sistema nervoso central, sugestivos de infecção congênita.

O boletim anterior indicava um total de 462 casos confirmados de bebês que nasceram com microcefalia, sendo 41 deles relacionados à infecção pelo vírus Zika.

Até o dia 13 de fevereiro, 837 casos suspeitos de microcefalia foram descartados de um total de 5.280 notificações de estados e municípios ao governo federal desde o início das investigações em 22 de outubro de 2015 até 13 de fevereiro de 2016.

Do total dos 3.935 casos em investigação, 60,1% dos casos (3.174) foram notificados em 2015 e 39,9% (2.106) no ano de 2016.

Amapá e Amazonas são os únicos estados da federação que não têm nenhum registro de casos. Os 508 casos confirmados ocorreram em 203 municípios, localizados em 13 unidades da federação: Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Até o momento, estão com circulação autóctone do vírus Zika 22 unidades da federação. São elas: Goiás, Minas Gerais, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Roraima, Amazonas, Pará, Rondônia, Mato Grosso, Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná.

O boletim registra ainda um aumento significativo do número de mortes, em relação ao documento divulgado na sexta-feira passada (12/02). Até agora, foram contabilizados 108 óbitos relacionados à doença logo depois do parto ou ainda durante a gestação. Na semana passada, eram 91 óbitos. Do total reunido até agora, 27 foram confirmados para microcefalia ou doenças relacionadas ao sistema nervoso central.

(Com agências)

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA