Exame avalia tumores e outras patologias antes do nascimento do bebê

A fetoscopia virtual possibilita visualizar o feto com o auxílio das imagens de ultrassonografia e ressonância magnética

por Agência Estado 03/11/2015 15:52

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
A ciência tem proporcionado, nos últimos anos, uma verdadeira revolução na medicina diagnóstica que caminha a passos largos para a detecção de patologias cada vez mais precoces. Isso acontece também na medicina fetal, que conta com os avanços das imagens em 3D como aliados. Uma dessas inovações é a fetoscopia virtual, nova ferramenta diagnóstica que possibilita visualizar o feto com o auxílio das imagens de ultrassonografia e ressonância magnética. Segundo Heron Werner, ginecologista e obstetra especialista em medicina fetal, a técnica abre caminho para descobertas ainda mais recentes das malformações fetais.

"Nesses últimos anos, a ressonância magnética veio auxiliar a ultrassonografia em diagnósticos mais complexos, e as imagens em 3D aprimoraram ambos os exames, o que, consequentemente, abriu uma nova porta para a visualização do conteúdo uterino ou ambiente fetal, possibilitando outros caminhos para o diagnóstico das malformações fetais", explica Heron, criador da técnica juntamente com o Laboratório Next, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, e pioneiro no uso da fetoscopia virtual no Brasil.

Na prática, a fetoscopia virtual permite que os médicos naveguem virtualmente em 3D na cavidade amniótica e no interior do feto, como se estivesse enxergando o bebê com uma câmera dentro da barriga. "Hoje já podemos, por exemplo, avaliar melhor massas ou tumores na região cervical do feto, classificando o tumor e vendo seu grau de penetração nas áreas nobres do pescoço fetal. Isso pode ter um grande impacto no manejo do nascimento e na formulação do tratamento pós-natal", revela.

Por meio dessa modalidade, patologias fetais como teratomas e linfangiomas podem ser mais bem avaliadas antes do nascimento. O uso desse exame pode incrementar o ganho na expectativa de vida do bebê. "Até mesmo antes do nascimento, os médicos podem fazer a avaliação do prognóstico dessas patologias e até decidir a abordagem terapêutica ou cirúrgica que realizarão no feto. Tudo isso com base na navegação feita ainda no ambiente uterino.", finaliza Heron.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA