Você sabe como evitar a cãibra?

O incômodo nada mais é que uma contração parcialmente involuntária dos músculos, que ocorre em função do desequilíbrio hidroeletrolítico da área atingida

por Estado de Minas 20/08/2015 11:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Son Salvador
Banana realmente ajuda a evitar cãibras, mas você pode fazer mais que isso (foto: Son Salvador)
A cãibra afeta milhares de pessoas. Geralmente, atinge a panturrilha, os pés ou os dedos, em função do desgaste que essas áreas sofrem ao longo do dia. Essas regiões estão em constante movimento e acabam perdendo nutrientes mais rápido. A cãibra nada mais é que uma contração parcialmente involuntária dos músculos, que ocorre em função do desequilíbrio hidroeletrolítico da área atingida. Essa dor é um alerta que o corpo produz sinalizando que é preciso repor sais minerais, como o potássio e o sódio, e também água.

Todo mundo já escutou dizer que comer banana evita cãibra, mas, além dela, outras práticas podem ser inseridas no dia a dia para melhorar e impedir esse desconforto. Segundo o fisiologista Paulo Augusto Amorin, a banana é sim rica em potássio e é um dos principais alimentos minerais responsáveis pelo equilíbrio hidroeletrolítico, e isso faz com que ajude na prevenção da contração. Porém, se não houver a reposição das demais substâncias, principalmente a água, o equilíbrio não será alcançado.

A cãibra está ligada diretamente aos hábitos de vida de cada um, e, além da alimentação rica em nutrientes, o fisiologista apresenta medidas simples que podem ajudar no combate e na diminuição desse desconforto:

  • Usar calçados adequados e confortáveis para práticas esportivas ou para quem fica muito tempo em pé
  • Tomar muita água
  • Fazer alongamento e aquecimento antes de exercícios físicos e depois e no final do dia
  • Respeitar o limite físico para não causar exaustão
  • Evitar alimentos e bebidas diuréticas para amenizar a perda de nutrientes

Caso as cãibras sejam frequentes com todos esses cuidados diários, o fisiologista Amorin aconselha procurar um acompanhamento médico.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA