Ebola provocará aumento da mortalidade materna nos países afetados pela epidemia

Mortalidade de mulheres durante a gravidez ou no parto poderá aumentar 111% na Libéria, 74% em Serra Leoa e 38% na Guiné

por AFP - Agence France-Presse 09/07/2015 09:59

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Morte de profissionais de saúde durante a epidemia de ebola provocará um aumento da mortalidade materna durante a gravidez e o parto nos três países africanos afetados pela epidemia, adverte um relatório do Banco Mundial publicado nesta quarta-feira (09/07).

No total, 4.022 mulheres correm o risco de morrer anualmente na Guiné, Libéria e Serra Leoa apenas por causa do legado da epidemia de ebola: 11 mil óbitos, incluindo numerosos médicos e enfermeiros.

Na Libéria, por exemplo, a epidemia matou 0,1% da população, mas 8% do pessoal de saúde, destaca o relatório, que defende o recrutamento "imediato" de 240 médicos e enfermeiros.

"A perda de pessoal de saúde ligada ao ebola pode elevar a taxas de mortalidade materna aos níveis experimentados nestes países há 15 ou 20 anos", disse Markus Goldstein, um dos autores do trabalho publicado na revista científica The Lancet.

A mortalidade de mulheres durante a gravidez ou no parto poderá aumentar 111% na Libéria, 74% em Serra Leoa e 38% na Guiné, apesar do fim da epidemia de ebola nos três países.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA