Quadrigêmeos de mãe de 65 anos estão em estado grave

Dois dos quatro bebês respiram com ajuda de aparelhos e um deles foi submetido a uma intervenção cirúrgica devido a um problema no intestino. A mãe está bem e já deixou o CTI

por AFP - Agence France-Presse 27/05/2015 16:11

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
A saúde dos quadrigêmeos nascidos muito prematuramente de uma mãe alemã de 65 anos corre grandes riscos, indicaram nesta quarta-feira (27/05) os médicos do hospital de Berlim onde nasceram no último fim de semana. Dois dos quatro bebês - três meninos e uma menina, que pesavam de 655 a 960 gramas ao nascer - respiram com ajuda de aparelhos e um deles foi submetido a uma intervenção cirúrgica devido a um problema no intestino, disse o professor Christoph Buhrer, diretor do serviço de neonatologia do hospital universitário.

Os bebês nasceram após apenas 26 semanas de gestação. "Nasceram quando seu desenvolvimento ainda não estava finalizado, o que é um fator de grandes riscos", explicou Buhrer em uma coletiva de imprensa. "São crianças que podem morrer, contrair graves doenças ou sofrer sequelas", acrescentou, declarando que estes riscos não têm conexão com o fato de serem quadrigêmeos.

Reprodução Internet
Annegret Raunnigk em foto com a filha caçula que teria pedido a ela irmãos. A alemã passou por várias inseminações artificiais para engravidar dos quadrigêmeos (foto: Reprodução Internet)


A mãe está bem e deixou o centro de tratamento intensivo, segundo os médicos. Annegret Raunnigk, uma berlinesa professora de inglês e russo prestes a se aposentar, se submeteu a múltiplas inseminações artificiais na Ucrânia. A fecundação in vitro está proibida para uma mulher desta idade na Alemanha.

A mulher, que tem outros 13 filhos e sete netos, deu à luz os quadrigêmeos no último domingo em Berlim. Agora, Raunnigk, que não está casada, se tornou a mãe de quadrigêmeos mais velha do mundo, segundo a rede de televisão RTL, que negociou direitos exclusivos com ela. "As crianças permitem que eu continue sendo jovem", alegou Raunnigk.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA