'Cerveja feminista' leva para o bar o debate sobre machismo na publicidade

O produto é do tipo 'irish red ale', vendido em garrafas de 600 ml, por R$ 14

por Michelle Macedo 26/02/2015 14:01

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução Internet
A cerveja é produzida de forma artesanal (foto: Reprodução Internet)
Contra propagandas de cerveja povoadas de mulheres de biquíni e frases pejorativas, três mulheres criaram a 'Cerveja feminista' – a proposta é levar o debate sobre machismo na publicidade para a mesa do boteco. Após uma semana do lançamento, foram 1,2 mil pedidos do produto e o primeiro estoque da bebida se esgotou em quatro dias.

As publicitárias Thais Fabris, Larissa Vaz e Maria Guimarães tiveram a ideia logo após uma campanha lançada no carnaval. Uma marca de cerveja estampou em outdoors de vários pontos do país frases como “Esqueci o não em casa” e “Topo antes de saber a pergunta”. Depois da polêmica, a empresa retirou as propagandas das ruas.

Depois disso, as jovens encontraram na 'Cerveja feminista' a melhor forma de levar a discussão adiante. Elas criaram o nome, a marca e o site onde o produto é vendido três dias antes do carnaval.

O produto final foi divulgado primeiro em grupos de discussão publicitária, como o coletivo 65|10, que trata sobre o mercado de criação para as mulheres. “Essa cerveja, essa plataforma de conversa, não é da Lari, da Thaís e da Maria. Não é do 65 | 10. Ela é de todo mundo, é feita de mil papos”, descreve o trio na página do coletivo.

A cerveja é produzida de forma artesanal. As criadoras compartilharam a ideia com dois amigos cervejeiros e eles produziram a receita. O produto é do tipo irish red ale – "cor avermelhada, maltada, levemente lupulada e com final seco" – e é vendido, em garrafas de 600 ml, por R$ 14 ("preço de custo", segundo a marca).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA