Homem com dois pênis lança biografia

Conhecido apenas como Triplo D, esse americano ganhou fama mundialmente após ter revelado sua anomalia congênita, que atinge um a cada 5 milhões de homens, na internet

por Gabriella Pacheco 09/01/2015 15:58

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
reprodução internet
(foto: reprodução internet)
"Eu não queria que os outros meninos tivessem ciúmes ou se sentissem mal por não terem dois pênis. Jamais pensei que eles fossem me odiar por me achar estranho". A afirmação é do jovem americano, de 25 anos, conhecido apenas como Double Dick Dude (cara com pinto duplo, em livre tradução para o português). Triplo D, como foi apelidado pela mídia internacional, tem disfalia, uma anomalia congênita que atinge um em cada 5 milhões de homens. Nesses raros casos, os portadores nascem com dois pênis.

Há um ano o rapaz publicizou sua história na seção Ask Me Anything (AMA) da plataforma virtual Reddit e virou notícia no mundo inteiro. Agora, no aniversário de sua 'saída do armário', ele compartilha detalhes sobre como foi crescer com dois pênis e sua vida pessoal no e-book, disponível na Amazon.

Assim como é comum a todos que são diferentes, Triplo D enfrentou uma vida cercada de desafios e marcada pelo bullying. Apesar do ambiente de carinho e aceitação criado pelos pais, que o chamavam de 'especial' e 'único', a adolescência e o colégio não foi fácil. “Meus pênis fizeram da minha vida um inferno por um tempo e eu conto isso no livro”, disse em entrevista à versão americana da revista Rolling Stone.

“Tendo tido dois pênis durante toda a minha vida, eu não consigo imaginar como seria com apenas um deles. Quando eu olho para eles eu penso que seria muito estranho se não tivesse um deles”, confessa. Contudo, ele conta ter tido uma mudança de perspectiva após revelar sua condição na internet. “Quase toda a população de homens no mundo olha para baixo e só vê um (pênis). O que eu reparei quando contei na internet foi uma mistura de descrença, ciúme e inveja”, relata.

“Eu aprendi com a minha experiência no AMA que mesmo em 2014 as pessoas ainda têm dificuldade em entender individualidade e compaixão. Além das piadas e perguntas que recebi, algumas pessoas foram – e têm sido – absolutamente terríveis. As pessoas ainda são terrivelmente preconceituosas sobre coisas que não conseguem entender”, conta.

Contar um pouco desse drama foi apenas parte do que motivou o rapaz a escrever o conjunto de memórias. Bissexual assumido, ele conta ter recebido muitas mensagens de pessoas em situações semelhantes em busca de apoio ou com dúvidas. “Me surpreende que quase um ano depois pessoas ainda estejam me procurando. Então, eu pensei que poderia usar um livro para responder perguntas, mas também dar voz a pessoas que possam se sentir perdidas”, afirma.

Uma das coisas sobre as quais o americano não tem vergonha de falar é sobre sua sexualidade. Em entrevista à BBC, Triplo D diz ter tido uma vida bissexual muito ativa, com mais de mil parceiros. “Eu queria fazer o que quisesse, com quem eu quisesse, com quem quisesse fazer comigo”, relatou ao programa Newsbeat.

A abertura incluiu uma experiência poliamorosa. Segundo ele, seu relacionamento mais longo foi com um garoto e uma garota, que já eram um casal antes de conhecê-lo.

Com tantos encontros amorosos Triplo D tirou várias histórias, várias engraçadas e outras nem tanto divertidas. “Um das mais engraçadas provavelmente foi com uma garota que pensou que (meus pênis) eram próteses, tentou arrancar um até perceber que era real. Ela começou a encolher dando gargalhadas e quase hiperventilou”, diz.

O mais decepcionante dos casos veio de uma garota com quem ele namorou sério. Durante três meses os dois ficaram nas preliminares, com beijos e carícias. Quando a menina finalmente disse estar pronta para o próximo passo, Triplo D revelou ser 'diferente' dos outros rapazes. “Ela disse que não se importava. Eu mostrei 'eles' para ela e ela definitivamente se importou. Ela me disse para sumir e terminou o relacionamento. Ainda dói quando penso sobre isso”, conta.

A verdadeira identidade de Triplo D nunca foi revelada e o rapaz faz questão de se manter assim. “Se eu revelasse minha identidade, minha vida jamais seria a mesma. Nada seria o mesmo. A melhor maneira de explicar isso é assim: se o Superhomem revelasse ao mundo que é Clark Kent, ele nunca seria deixado em paz. Todos com quem ele se importasse seriam escrutinados e marcados”, diz.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA