Com movimentos de baixo impacto, ginástica e alongamento holísticos ajudam a fortalecer o corpo

Atividade fortalece os músculos, previne doenças e, de quebra, faz bem à mente

por Revista do CB 05/07/2014 10:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Zuleika de Souza/CB/D.A Press
Vânia Nina levou o marido, Carlos Nina, para as aulas de alongamento holístico: ele voltou a praticar motociclismo mesmo depois de um princípio de infarto (foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
Explicar a ginástica holística com palavras é limitante, avisa a fisioterapeuta Aline Lopes. “É completamente diferente de você vivenciar.” Os exercícios holísticos são atividades de baixo impacto que buscam melhorar a postura e a consciência corporal. O nome vem do grego holus, que significa “todo”. O foco sai de conjuntos musculares específicos e se volta para movimentos que atinjam mais partes do corpo.

Os exercícios podem ajudar no tratamento e na prevenção de doenças nas articulações, nos músculos e nos ossos. Exemplos são a osteoporose, que provoca enfraquecimento da estrutura óssea, a lordose e a escoliose, que indicam desvios na coluna, e a tendinite, que representa inflamações nos tendões. Os resultados têm alcance mais amplo. “Não envolve só a questão física, mas a parte mental e espiritual”, ressalta Marlus Padovan, que dá aulas de alongamento holístico. Ele explica que os exercícios promovem benefício prolongado: auxiliam no sono, na postura e até no equilíbrio emocional.

A socióloga aposentada Vânia Nina gostou dos exercícios por serem completos, estimulando o corpo inteiro. “Dá uma sensação de bem-estar e a coluna agradece.” Ela levou o marido, Carlos Nina, para as aulas. No ano passado, ele teve um princípio de infarto, e o alongamento holístico foi uma das maneiras de continuar se exercitando sem fazer esforços excessivos. Com a prática, ele teve disposição para persistir em uma das paixões: o motociclismo. “Consegui fazer com tranquilidade uma viagem de 15 dias de moto”, relata, referindo-se à Rota 66, caminho nos EUA de quase 4 mil quilômetros.

Outro diferencial das técnicas holísticas é a ênfase na autonomia. Segundo Aline Lopes, alguns métodos posturais dependem do profissional, que precisa colocar o corpo da pessoa na posição certa. As posturas devem ser realizadas por meio de orientações verbais para que o aluno faça por si mesmo o movimento. “Isso desenvolve a percepção corporal e a memorização dos exercícios. Você ensina a mente a trabalhar o corpo.”

A servidora pública Valéria Mota, 50 anos, faz aulas de alongamento holístico há cerca de três meses e gosta de compreender o funcionamento das atividades. “É muito bom entender o propósito dos movimentos, para que serve o trabalho com os músculos, com a respiração.” Por não gostar de malhar, ela viu o método como uma alternativa para sair do sedentarismo e encontrar saúde.

Os exercícios leves pareceram estranhos para o auditor fiscal Alexandre Ferreira, 60 anos. “Os homens gostam de pegar pesado e podem achar os movimentos muito lentos. Mas, com o tempo, dá para sentir mais resultados do que na malhação e podemos usar de complemento a outras atividades físicas”, afirma. Ele destaca que as posições ajudaram a fortalecer a musculatura e diminuíram o cansaço e as dores depois do futebol, esporte que pratica três vezes por semana.

Alexandre conta que se surpreendeu com a flexibilidade e o equilíbrio adquiridos. “Na primeira vez, algumas coisas pareciam impossíveis de fazer. Depois, me espantei com a minha capacidade.” Os benefícios também chegaram ao sono. “Ficava ansioso e costumava acordar durante a noite. Agora, com a mente relaxada, consigo dormir mais rápido.” Ele é um dos alunos das aulas de alongamento holístico desenvolvidas por Marlus Padovan. O método guarda semelhanças com a ginástica holística, mas com influências de outras áreas. O professor tentou unir conhecimentos tradicionais com técnicas alternativas, como a massagem chinesa tui ná, a arte marcial tai chi chuan, os exercícios de estímulo à energia vital qi gong, entre outras. Mas a principal influência vem da acupuntura e do conceito de meridianos energéticos. De acordo com a medicina chinesa, eles são canais invisíveis a olho nu por onde circula a energia vital. Toda a extensão de um meridiano é afetada ao pressionar um único ponto dele.

A ênfase maior do alongamento holístico é nas cadeias musculares. “Eu busco incluir pelo menos duas estruturas de movimento em uma mesma postura. Não vejo por que exercitar somente o braço e excluir a coluna, por exemplo.” Ele explica que um problema localizado, como uma panturrilha fraca, pode gerar um desequilíbrio que afete o joelho, o quadril e até a coluna cervical.

Padovan coloca como um dos focos alcançar resultados prolongados. De modo geral, 30 segundos de alongamento em cada parte do corpo costumam afetar somente a parte plástica dos músculos, que volta ao estado inicial em uma hora. Para reestruturar a teia muscular, é preciso um trabalho profundo e maior tempo na postura. “A ideia é alongar e fortalecer ao mesmo tempo. Com isso, você consegue reestruturar os músculos e ter um retorno definitivo na postura.”

Os exercícios holísticos procuram ser menos cansativos e seguir um ritmo gradativo e natural. Por isso, são recomendados para pessoas de todas as idades e muitos podem ser continuados em casa. “Com materiais simples, como bolinhas de tênis e rolo de macarrão, você pode repetir os exercício no lar”, destaca Aline Lopes.

Exercite-se!
Zuleika de Souza/CB/D.A Press
1 - Na posição sentada, o cabo de metal é usado para deixar as costas retas e aumentar o espaço entre as vértebras. O exercício é ideal para alongar a coluna. (foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)

Zuleika de Souza/CB/D.A Press
2 - As bolinhas de tênis ajudam a equilibrar os pontos de apoio da pisada, localizados principalmente abaixo do dedão, do mindinho e do calcanhar. 'Muitas vezes, as pessoas se apoiam apenas em duas partes do pé. Esse exercício ajuda a fazer o realinhamento do corpo', explica o professor Marlus Padovan. (foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)

Zuleika de Souza/CB/D.A Press
3 - A posição de costas, com as mãos apoiadas no tubo, foca no alongamento da coluna lombar. 'Nem todos conseguem fazer essa postura. Cada pessoa faz os exercícios de acordo as dificuldades que tiver. Por exemplo, se ela tem um deslocamento na coluna para a direita, compensamos focando na parte esquerda', destaca o professor. (foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)

Zuleika de Souza/CB/D.A Press
4 - Deitar sobre o tubo auxilia no alongamento das escápulas, dos ombros e da coluna. 'Esse é o carro-chefe do alongamento e atinge grande parte do meridiano da bexiga', explica o professor. O meridiano da bexiga é um canal energético usado na acupuntura, que começa próximo do olho, segue pela coluna e vai até o pé. (foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA