Saúde Plena recebe menção honrosa no Prêmio Nacional de Jornalismo sobre Violência de Gênero

Reportagem "Assédio na Rua: 'mimimi' de rede social ou violência contra a mulher?" foi agraciada na categoria 'Outras Mídias'

05/05/2014 07:20

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Edílson Rodrigues/CB/D.A Press
Fato comum e incorporado ao cotidiano, o assédio passou a ser discutido de forma mais intensa depois de iniciativas de movimentos sociais e da divulgação da pesquisa "Chega de Fiu Fiu" (foto: Edílson Rodrigues/CB/D.A Press)
A Casa da Mulher Catarina e a Rede Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos divulgou neste fim de semana o resultado do Prêmio Nacional de Jornalismo sobre Violência de Gênero. O Saúde Plena foi agraciado com menção honrosa pela reportagem "Assédio na rua: 'mimimi' de rede social ou violência contra a mulher?", das jornalistas Letícia Orlandi e Valéria Mendes, publicada em setembro de 2013.

O prêmio integra a campanha “Jornalistas dão um Ponto Final na Violência Contra Mulheres e Meninas”, que tem como objetivo incluir, promover e disseminar na categoria e na sociedade o debate sobre relações de gênero, em especial a violência, como um problema que impacta a vida e a cidadania das mulheres, buscando a sua compreensão e desnaturalização, influenciando no tratamento dado pelos meios de comunicação.

Nos próximos dias 16 e 17 de maio, a instituição realiza o 'Seminário Internacional sobre Mídia e Violência de Gênero', em Florianópolis.

Debate aberto
A partir da repercussão e dos dados da pesquisa “Chega de Fiu-Fiu', que entrevistou quase 8 mil brasileiras sobre sobre o assédio na rua, o Saúde Plena realizou um debate entre especialistas, homens e mulheres que já passaram por alguma situação vinculada ao assédio. Assédio na rua é normal? É violência? Está vinculado a um cenário mais amplo de preconceito? Estas foram algumas das perguntas apresentadas na matéria, que contou com arte de Soraia Piva.

Os Diários Associados receberam menção honrosa também na categoria Mídia Impressa, com as reportagens "Mães de Noronha", de Anamaria Melo do Nascimento, do Diário de Pernambuco; e "Prova de Resistência", de Gláucia Chaves, na Revista do Correio (Correio Braziliense).


Divulgação
Prêmio integra a campanha 'Jornalistas dão um Ponto Final na Violência Contra Mulheres e Meninas' (foto: Divulgação)
Confira os nomes de todos os vencedores do Prêmio Nacional de Jornalismo sobre Violência de Gênero:
Rádio
Tráfico de Mulheres na Região da Amazônia - AM
Jornalista responsável: Gecilene de Aguiar Salles

Televisão:
Pedofilia em Coari (AM) - RJ
Jornalista responsável: Monica Teixeira Marques

Mídia Impressa:
Órfãos da Violência Doméstica - RS
Jornalista responsável: Kamila Silva de Almeida

Outras mídias
O Inferno das Mulheres - DF
Jornalista responsável: Ricardo Moraes Westin Pimenta

Menções honrosas
Rádio
Pele Escura, Morte Invisível, a Violência contra a Juventude Negra - MG
Jornalista responsável: Vanessa de Souza Silva

Violência contra a Mulher: muito mais do que um caso de polícia - SC
Jornalista responsável: Marcos Andrei Meller

* Homenagem Especial
- Série Viva Maria: Programa Pioneiro nas Discussões de Gênero no Rádio Brasileiro
Jornalista responsável: Mara Régia Di Perna

Televisão
- A Violência que não é Física – Mulheres Vítimas de Estelionato e Outros Tipos de Violência não Reconhecem o Problema e Demoram a Procurar Ajuda - RS
Jornalista responsável: Cristine Ribeiro Gallisa

- A Hora da Chegada - DF
Jornalista responsável: Marieta Cunha Cazarré

Mídia impressa
- Mães de Noronha - PE
Jornalista responsável: Anamaria Melo do Nascimento

- Prova de Resistência - DF
Jornalista responsável: Gláucia Cristina Oliveira Chaves

- Mulheres Marcadas para Morrer - PA
Jornalista responsável: Ismael Soares Machado

- Mulheres sob Ataque - RO
Jornalista responsável: Andréa Santos Machado

Outras mídias
- Assédio na Rua: 'mimimi' de Rede Social ou Violência contra a Mulher? - MG
Jornalistas responsáveis: Letícia Orlandi e Valéria Mendes

- O Parto é da Mulher – Movimentos Denunciam a Violência e Propõe Mudanças para Promover o Parto Ativo e Humanizado - MG
Jornalista responsável: Maria Cecília Alvim Guimarães

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA