Mecanismo de defesa dos retraídos, timidez pode levar à exclusão em certos grupos, aponta psicanalista

Com 35 anos de clínica médica, especialista analisa as várias faces da timidez e aponta a busca por amparo e proteção; entre as características estão um ser reflexivo e exímio observador

por Lilian Monteiro 12/01/2014 09:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Nada melhor para ilustrar a chamada timidez do que esta citação de Mário Quintana: "...Dizem que sou tímido. Nada disso! Sou é caladão, introspectivo. Não sei por que sujeitam os introvertidos a tratamentos. Só por não poderem ser chatos como os outros?". Para a psicanalista e psicóloga Maria Goretti Ferreira, podemos entender por timidez uma das diversas posturas que o indivíduo assume na vida diante de si e dos outros. Seria mesmo um escudo com que ele enfrenta o mundo, com o qual e diante do qual busca amparo e proteção. "Todos nós dispomos de mecanismos de defesa – desejáveis ou não – que funcionam como ferramentas, bem lapidadas ou toscas, para lidarmos com a fragilidade e o desamparo que nos são inerentes."

 

Veja também: Tímidos enfrentam desafios em tempos de exposição nas redes sociais

 

Maria Goretti lembra que não necessariamente a timidez adquire um caráter patológico, a não ser quando esse traço passa a ser um freio na vida, emperrando o seu fluxo natural. "O chamado tímido, geralmente, tem um julgamento severo a respeito de si mesmo, o que o leva a se sentir inseguro e propenso a se submeter à opinião do outro ou dela depender. Um medo enorme de ser criticado e não reconhecido. Situação em que o indivíduo se sente exposto, pouco 'agasalhado', acarretando muitas vezes um movimento de recuo em que parece perder terreno diante do mundo." Por outro lado, ela lembra que essa "postura não é estanque", ou seja, a pessoa pode se apresentar como tímida em uma situação e em outra não.

Maria Tereza Correia/EM/D.A Press - 23/9/13
''O chamado tímido, geralmente, tem um julgamento severo a respeito de si mesmo, o que o leva a se sentir inseguro e propenso a se submeter à opinião do outro ou dela depender'', explica a psicanalista e psicóloga Maria Goretti Ferreira (foto: Maria Tereza Correia/EM/D.A Press - 23/9/13)
A psicanalista explica que o tímido também costuma ser mais reflexivo e exímio observador – de si mesmo e do mundo externo –, o que o leva a ser considerado prudente, sensato e dotado de uma vida interna fértil, mesmo que essa riqueza não salte aos olhos num primeiro momento.

VIRTUAL
Mas, e o tímido no mundo virtual? Para Maria Goretti, esse é um bom lugar onde ele pode se sentir mais à vontade, muitas vezes protegido pelo anonimato. Paradoxalmente, um lugar onde ele se expõe, inclusive a privacidade, mas sob um pseudônimo. "Compete a ele querer ou não sair desse anonimato e a quem o lê, acreditar ou não." E o universo virtual protege os tímidos do real? Para a psicanalista, sim, se ele insistir em lidar com o outro somente pela via da internet, onde estará mais resguardado, mas também mais solitário, recluso e empobrecido de relações verdadeiramente humanas.

O tímido muitas vezes é rechaçado – principalmente o mais jovem – por não atender o apelo da nova ordem mundial de que a vida deve ser uma grande festa, da qual todos devem participar e que ficar de fora da comemoração passa a significar ser 'problemático'. "Eis uma nova modalidade de exclusão. Da mesma forma que, hoje em dia, em determinados meios, o ser estudioso, responsável e avesso a excessos é também motivo de discriminação. São os chamados caretas e babacas!", enfatiza Goretti.

Sabiamente, ela lembra o perfil oposto. O chamado extrovertido é, conforme a psicanalista, muitas vezes, a outra face da mesma moeda, a roupagem com que ele se mostra aos demais. "O que o dito extrovertido angaria? Simpatia, reconhecimento e aprovação. Ou seja, o que todos nós buscamos." Mas ela alerta: "É bom lembrar e não confundir ser extrovertido com ser afetuoso. Pode ocorrer de o extrovertido vender o seu peixe diante de uma plateia, mas apresentar sério desconforto com a intimidade".

Como se vê, Maria Goretti nos ensina que os vários lugares que ocupamos neste mundo estão sob a dependência do nosso próprio olhar e do olhar do outro, posições essas ancoradas sempre no contexto sócio-histórico-cultural. "Pode ser que em breve alguma criança ou jovem venha a nos perguntar o que é 'resguardar a privacidade', o que é 'anonimato' ou o que seja uma 'relação verdadeiramente humana'... O tempo nos dirá!"

Para finalizar e ilustrar a beleza e a alegria de ser o que se é, a psicanalista nos convida a prestar atenção em Clarice Lispector: "Desculpem eu ser eu. Quero ficar só! grita a alma do tímido que só se liberta na solidão. Contraditoriamente, quer o quente aconchego das pessoas".

 

Chip Somodevilla/Getty Images/AFP, Tal Cohen/AFP PHOTO, LLuis Gene/AFP PHOTO e Johannes Eisele/AFP PHOTO
Bill Gates, Michelle Pfeiffer, Chico Buarque e Johnny Depp integram lista de tímidos célebres (foto: Chip Somodevilla/Getty Images/AFP, Tal Cohen/AFP PHOTO, LLuis Gene/AFP PHOTO e Johannes Eisele/AFP PHOTO)
Dez vantagens de ser tímido

 

1) Modéstia atraente: a maioria das pessoas tímidas é modesta. Elas são as últimas a anunciar conquistas ou a contar ao mundo quão ótimas elas são. Ego demais não é bom e está longe de ser considerado atrativo.

2) Pensar antes de agir: quando o tímido está desconfortável com uma situação, normalmente pensa duas vezes antes de agir. Qualidade importante para sua vida futura, seja na carreira, seja nos próprios relacionamentos.

3) Ser acessível: quando a timidez não é excessiva, ela pode fazer com que você seja mais acessível aos outros. Essa característica raramente é uma ameaça e faz com que as pessoas sintam-se mais confortáveis ao seu lado. Você não tem atitudes que dificultam a aproximação com você.

4) Acalmar os outros: os tímidos normalmente têm um efeito calmante sobre os extrovertidos. Portanto, essa calma e essa serenidade que os tímidos frequentemente têm podem ser vantajosas para aqueles que estão à sua volta.

5) Trabalhos com interação social: pode parecer o contrário, mas as pessoas se abrem mais com os tímidos, porque eles escutam mais os outros. A timidez pode ser vantajosa.

6) Mais confiável: uma vez que você não é o primeiro a contar suas vantagens e conquistas, as pessoas provavelmente vão considerar você mais fidedigno e passarão a confiar mais em você. Isso também pode fazer com que você seja um bom líder.

7) Força interior: se você teve que lutar tantas vezes com você mesmo devido a sua timidez, é provável que tenha uma força interior maior do que o comum. Portanto, sabe o que é ter que lidar com sentimentos complicados e superá-los. Isso significa que superará dificuldades da vida mais facilmente.

8) Amizades mais intensas: quando as pessoas são mais fechadas, normalmente dão muito valor às poucas e verdadeiras amizades que têm. É provável que você seja sempre visto como um amigo mais leal, uma vez que para os tímidos fazer amizade é mais difícil.

9) Bom com trabalhos sociais: adapta-se com facilidade em ambientes com pessoas necessitadas ou solitárias. É lá onde muitos tímidos e ansiosos obtêm grandes sucessos, porque são mais empáticos e entendem melhor os problemas dos outros.

10) Mais valor às recompensas: por não ser tão confortável estar perto das pessoas, quando está se divertindo, você valoriza muito. Fica mais sensível aos bons momentos e dá mais valor às recompensas que a vida lhe oferece do que os outros. Isso significa mais felicidade.

* Fonte: Universia Brasil

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA