Mauro Bernardes se muda para Ouro Preto e agora aposta em pratos rústicos

Chef seguiu para cidade histórica no ano passado, onde comanda a cozinha do Casa Armazém Garcia

por Eduardo Tristão Girão 12/02/2016 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Paulo Filgueiras/EM/D.A Press
(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)

Fechado em 2010, o restaurante Aurora se tornou lendário em BH: numa bela casa da Pampulha, o inquieto Mauro Bernardes servia pratos excêntricos, enquanto a freguesia recebia chuva de flores e quebrava louças no chão. Farra pura. Ano passado, com o fechamento do Ficus (cuja cozinha ele comandava), o chef partiu para Ouro Preto, onde iniciou pesquisa de ingredientes. O resultado pode ser conferido no recém-inaugurado Casa Armazém Garcia, restaurante que ele assumiu na cidade histórica mineira.

Bernardes é um chef de fases. Ora se empolga com trufas ora decide mergulhar na cozinha camponesa europeia. Agora, em torno do forno a lenha, ele desenvolve seus pratos – mais rústicos e simples, sem a sofisticação do Aurora e aproveitando o que produtores locais têm de melhor a oferecer no dia. “Estou numa fase mais telúrica, levantando ingredientes locais como legumes e queijos. Já há coisas interessantes, como palmito”, conta. Além disso, produz na casa linguiças, pancetta, ricota, pães rápidos, massas e picles.

No calor da madeira, ele prepara filé (R$ 44), miolo de contrafilé (R$ 59), tilápia (R$ 36) e peito de frango (R$ 34), servidos como pratos individuais com molhos e uma guarnição à escolha – legumes assados, massa e farofa, entre outras opções. Sobre a opção pelo forno a lenha, Mauro comenta: “Dá um quê defumado aos vegetais, gosto muito. Fora que trabalhamos com caixas de ferro que ficam dentro dele. Isso facilita muito”. Até sobremesas passam pelo crivo do chef, como a fruta do dia assada com licor e servida com sorvete (R$ 13).

Na seção de entradas, mais especialidades, a exemplo da muçarela de búfala com figo fresco, ervas e pão chapati assado na hora (R$ 29), do rosbife marinado em ervas (levado rapidamente às brasas) com lascas de queijo minas curado e molho de limão (R$ 24) e da carne de panela com pão assado na panela de ferro (R$ 35).

Por falar em lenha, a cozinha também prepara pizzas, nas quais o queijo minas predomina sobre a muçarela. Cervejas custam a partir de R$ 15 e vinhos partem de R$ 64 (garrafa de 750ml).

PRATELEIRA
A nova casa tem 40 lugares e decoração rústica, com prateleiras que dão clima de armazém – em breve, as opções de produtos à venda serão ampliadas. “A ideia é que seja um restaurante de bairro, pois não está no miolo do Centro Histórico. É para atender o pessoal da cidade, mas os turistas estão vindo também, e essa mistura é legal”, conta o chef, que trabalhou na cozinha de uma pousada da região há cerca de 15 anos. Sobre a possível reabertura do Aurora, ele comenta: “Não descarto. Deixei o restaurante todo montado”.

ARMAZÉM CASA GARCIA

Rua Alvarenga, 703, Cabeças, Ouro Preto. (31) 3551-5766. Aberto de quarta a sábado, das 16h à 0h; domingo, das 12h às 18h.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA