Las Chicas oferece menu vegano e sanduíches em homenagem às mulheres

Restaurante fica no Maletta, e conta ainda com bicicletário para quem levar sua magrela

29/01/2016 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Ramon Lisboa/EM/D.A Press
A chef Gabi Andrade com o hambúrguer Cleópatra (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
O ano chegou com boas-novas para vegetarianos e veganos de BH, que procuram cardápios sem carne e derivados animais. O Las Chicas Vegan acaba de abrir as portas no Edifício Maletta, no coração da cidade.

Conhecida por seu trabalho à frente da Las Chicas Comidinhas, voltada para entregas e encomendas, a chef Gabi Andrade se juntou ao bodypiercer Marcos Cabelo e ao professor Marcello Cardoso nesse novo projeto. Do sucesso de vendas em blocos de carnaval à abertura da loja física, tudo foi muito rápido, conta Gabi. Com apenas seis meses de atividades, ela já promovia festivais de sanduíches, atendendo a cerca de 400 pessoas. “Nos tornamos um dos rolês veganos mais conhecidos de BH”, relembra ela.

“A ideia é sermos sustentáveis e ecologicamente corretos. Compramos tudo de quem produz, os legumes e verduras são orgânicos. A maioria das coisas daqui é reciclável – dos quadros e molduras aos balcões”, explica Gabi.

O restaurante fica no segundo andar do Maletta, onde funcionou o Piolho Nababo. A cozinha segue o estilo showcook: é possível acompanhar o processo de preparo das comidas e drinques. À noite, a casa serve sanduíches, cervejas, bebidas e milk-shakes. Durante o dia, funciona como restaurante, oferecendo pratos executivos.

FRIDA E MALALA
Os quatro sanduíches têm nomes de mulheres – Frida, Cleópatra, Malala e Joana D’Arc. Custam de R$ 15 a 19, com acréscimo de fritas. Frida, por exemplo, tem hambúrguer de feijão preto com pimenta jalapeño, rúcula, vinagrete e guacamole, remetendo à culinária do México, país da pintora Frida Kahlo. “Faço releituras e brincadeiras nas receitas”, diz Gabi. O próximo sanduba vai homenagear a bióloga Bertha Lutz, educadora e feminista brasileira.

Cleópatra reúne hambúrguer crocante de grão-de-bico, tomate, agrião, cebola roxa e molho verde especial. Joana d’Arc chega à mesa com hambúrguer de soja, cebola caramelizada, alface americana, tomate e molho verde especial. Malala tem hambúrguer de lentilha, ciabata preto, broto de alfafa, tomate, cebola crua, maionese de grão-de-bico com especiarias (cravo e canela) e molho tahine.

Divulgadas pelo Facebook e WhatsApp, as opções para o almoço são modificadas diariamente. Por R$ 13, o cliente tem à disposição pratos com ingredientes versáteis, derrubando o mito de que vegetarianos e veganos só comem salada. A moqueca de banana-da-terra, por exemplo, é acompanhada por grão-de-bico, arroz, farofa de cenoura no dendê e salada de alface e cebola roxa.

Os milk-shakes surgiram do improviso. “Certa noite, Cabelo disse para um cliente que servíamos a bebida, mas eu não havia ainda testado receitas. Improvisei o primeiro, de paçoca. O cliente adorou e repeti. Sirvo pelo menos 20 por noite”, conta Gabi. Os outros sabores são chocolate e banana – todos 100% veganos, feitos com leite de soja. Preço: R$ 15/cada.

O cardápio de bebidas lista sucos diversos (R$ 4, cada), cervejas industriais (R$ 7) e cervejas artesanais de marcas gaúchas e catarinenses (de R$ 24 a R$ 28). Drinques exclusivos foram criados por Gabi Andrade. Um deles é o Dona Flor, que leva melado, limão, canela maçaricada e cachaça, com borda de sal. Custa R$ 17.

LAS CHICAS VEGAN
Edifício Maletta. Rua da Bahia, 1.148, loja 52, Centro. (31) 99356-5253 e 99856-7350. Aberto de segunda a sexta-feira, das 11h às 15h. De terça-feira a sábado, das 19h à meia-noite. Formas de pagamento: dinheiro, cartões de débito e crédito. Capacidade: 30 pessoas.

PORTAS ABERTAS

Las Chicas Vegan é um espaço comprometido com a política de inclusão. Gabi Andrade explica que se trata de uma casa pró-feminista e LGBT-friendly. Depois de episódios de hostilidade a casais homoafetivos em estabelecimentos do Centro de BH, Gabi abre as portas à diversidade. “De dia, o público é muito diverso, mas à noite, 90% do nosso público é composto por mulheres. Elas vêm principalmente com suas companheiras”, explica. O bicicletário é atração a parte. Instalado na parede lateral, o suporte pode receber até quatro bikes. O objetivo é estimular a reflexão sobre meios de locomoção ecológicos. Em breve, ferramentas serão oferecidas gratuitamente aos clientes para reparos básicos.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE GASTRONOMIA