Cineasta apoia presidente filipino em política repressiva às drogas

Brillante Mendoza manifestou apoio às políticas do presidente Rodrigo Duterte, muito questionado pelos países ocidentais

por AFP 21/11/2016 09:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

PATRICK KOVARIK
PATRICK KOVARIK (foto: PATRICK KOVARIK)

O premiado cineasta filipino Brillante Mendoza manifestou apoio à implacável política de combate às drogas do presidente Rodrigo Duterte, muito questionado pelos países ocidentais.

Mendoza, de 56 anos, é uma figura importante do cinema mundial, premiado no Festival de Cannes e em eventos do cinema independente por seus filmes que mostram a injustiça social e o sofrimento dos pobres em seu país.

Apesar das críticas de muitas pessoas à política repressiva ultraviolenta de Duterte contra o narcotráfico, Mendoza aceitou filmar curtas de propaganda a favor da campanha e dirigiu as filmagens de um discurso do presidente à nação.

 


''Se alguém entende a situação é o presidente'', disse Mendoza, na sede de sua produtora, ao redor de cartazes de seus filmes mais famosos, também exibidos nos festivais de Veneza e Berlim.

''Sei que muitas pessoas não apoiam o que ele quer e o que está fazendo agora, mas se realmente observarmos a situação real, esta é a forma de fazer'', afirmou o cineasta.

Mendoza venceu o prêmio de melhor diretor no Festival de Cannes em 2009 pelo filme Kinatay (esquartejamento, em tradução livre).

Duterte foi eleito em maio após uma campanha durante a a qual prometeu erradicar as drogas com a eliminação de milhares de pessoas. Ele também disse que o país corre o risco de virar um narcoestado.

Desde que chegou ao poder, no fim de junho, a polícia matou mais de 1.800 supostos traficantes de drogas e outras 2.600 pessoas morreram em circunstâncias obscuras, de acordo com dados oficiais.

O presidente alega que a polícia mata apenas em situação de legítima defesa e que as mortes não esclarecidas são consequência de ajustes de contas entre criminosos. 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA