Disney e Pixar apostam em cidade de animais falantes em novo filme

Novo filme tem estreia prevista em fevereiro de 2016

18/08/2015 11:33

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Disney, Pixar/Divulgação
Filme foi anunciado durante a Expo D23, da Disney, realizada neste fim de semana (foto: Disney, Pixar/Divulgação)
Menos de um ano depois de assumir como CEO da Walt Disney Company, em 2005, Bob Iger anunciou a compra da Pixar, que tinha substituído a Disney como o lugar onde se produziam desenhos de qualidade. "Tínhamos uma emergência porque precisávamos infundir o estúdio com grandes talentos da animação", disse Iger em uma sessão com a imprensa internacional durante a D23, convenção para fãs da Disney. Deu mais do que certo, como provam os Oscar da categoria para 'Operação Big Hero' e 'Frozen - Uma Aventura Congelante' e os estrondosos US$ 1,2 bilhão faturados pelo filme com as princesas Elsa e Anna.

"O estúdio está de volta por causa das pessoas que trabalham lá" disse John Lasseter, diretor criativo da Disney Animation e da Pixar, em sua apresentação para uma plateia de 7,5 mil fãs e jornalistas, no centro de convenções de Anaheim, ao lado da Disneyland. O evento deu um gostinho das próximas atrações, como Zootopia, de Byron Howard e Rich Moore, com estreia prevista para fevereiro. "Sempre adorei as animações da Disney com animais falantes, ainda mais aqueles em que eles usam roupas", contou Lasseter.
 
 
 
'Zootopia' é uma cidade feita por e para bichos - a equipe foi ao Quênia para observar de perto a fauna em seu habitat natural. Mas depois foi preciso uma dose de imaginação para colocá-los sobre duas patas, como seres humanos. Os personagens principais são a coelha policial Judy e a raposa Nick. A cantora Shakira faz Gazelle. A plateia se divertiu com trechos do filme em que Nick tenta comprar um picolé para seu filho adotivo, que pensa ser um elefante, e quando ele e Judy procuram uma informação num departamento de trânsito em que todos os funcionários são bichos-preguiça.

A mais nova princesa da Disney vai ser uma moradora de uma ilha no Pacífico Sul. Moana, de John Musker e Ron Clements, estreia no final de 2016 e mostra a personagem-título numa viagem pelo mar na companhia do semideus Maui, que se transforma em animais e é dublado por Dwayne Johnson. Antropólogos, historiadores e anciãos daquela região serviram como consultores.

A companhia não vai abandonar os contos de fada. Agora, é a vez de 'João e o Pé de Feijão', transformado em 'Gigantic', de Nathan Greno, um musical com canções da mesma dupla que fez 'Let it Go' (ou 'Livre Estou', em português), de 'Frozen', Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez. "É meu conto de fadas favorito e não tem uma versão definitiva", disse Lasseter. Os criadores decidiram ambientar a história na Espanha das grandes explorações marítimas. Uma das gigantes encontradas pelo protagonista acima das nuvens é Inma, de 11 anos, inspirada por uma garotinha espanhola espevitada encontrada pela equipe na viagem de pesquisa.

Com o retorno triunfal do Walt Disney Animation, a Pixar, companhia fundada por John Lasseter, está tentando não ficar para trás. 'Divertida Mente', de Pete Docter, foi um sucesso de crítica e de público. Seu lançamento em DVD vai vir acompanhado de um curta, Riley’s First Date (o primeiro encontro de Riley). O próximo longa-metragem é 'O Bom Dinossauro', de Peter Sohn, com lançamento em janeiro no Brasil. "É um filme em que o dinossauro é o menino, e o menino é o cachorro", disse o diretor sobre a amizade de um dinossauro e um garoto pré-histórico. Nas cenas apresentadas na D23, impressionaram as paisagens, que parecem filme de verdade, mas são animação.

A Pixar também permanece apostando em sequências como 'Procurando Dory', de Andrew Stanton e Angus MacLane, continuação de 'Procurando Nemo', e 'Toy Story 4', com direção do próprio John Lasseter. "Vai ser uma história de amor entre Woody e Betty, inspirada pela minha mulher Nancy", disse Lasseter, emocionado.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA