Intérprete de Julian Assange nos cinemas, Benedict Cumberbatch admira o trabalho do WikiLeaks

Vilão de 'Star Trek: Além da escuridão' protagoniza 'The fifth estate', que abriu o festival de cinema de Toronto na quinta-feira

por Fernanda Machado 06/09/2013 15:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução / Dreamworks Pictures
Cumberbatch (dir.) ao lado do ator Daniel Brühl em 'O quinto poder' (foto: Reprodução / Dreamworks Pictures)

O ator britânico Benedict Cumberbatch, que interpreta o fundador do WikiLeaks no filme 'The fifth estate' ('O quinto poder') do diretor Bill Condon, afirmou nesta sexta-feira que espera que Julian Assange continue com seu trabalho de divulgar segredos.

Assange está abrigado na embaixada do Equador em Londres, depois de pedir asilo a este país há um ano para evitar ser extraditado à Suécia, onde é buscado por acusações de abuso sexual contra duas mulheres.

Cumberbatch interpreta o controverso hacker, depois de emprestar seu talento à recriação de Sherlock Holmes, no seriado da BBC, e mais recentemente do vilão Khan, em 'Além da Escuridão - Star Trek'. 'O quinto poder'' abriu o festival de cinema de Toronto na quinta-feira.

"É muito complicado, tem a ver com transações e acontecimentos a portas fechadas, e eu não tenho acesso a nenhum tipo de informação ou perspectiva que pudesse lançar uma luz sobre alguma certa verdade sobre isso", afirmou Cumberbatch em uma coletiva de imprensa. "O que eu gostaria de ver é que o homem seja capaz de continuar o seu trabalho como fundador do WikiLeaks. Para além disso, o devido processo deve ocorrer em qualquer modelo ou forma".

Condon acrescentou que o homem por trás do maior vazamento de segredos da história americana em 2010 é "um pioneiro absoluto e fez uma grande diferença. Ele abriu a porta pela qual Edward Snowden passou. Por todas estas razões, penso que ele é uma figura extremamente admirável". "Torna-se uma questão quando ele é responsável por tanta informação e se ele é a pessoa ou o tipo de pessoa que queremos deixar ter essa responsabilidade".

O lançamento do filme ocorre poucas semanas após a condenação do soldado Bradley Manning a 35 anos de prisão por enviar 700.000 documentos - registros militares de guerra e telegramas diplomáticos americanos - ao WikiLeaks, que os publicou.

Na esteira desta polêmica, o ex-consultor Edward Snowden revelou recentemente detalhes das operações secretas de monitoramento eletrônico da Agência de Segurança Nacional americana, e, em seguida, fugiu para a Rússia.

O próprio Assange criticou o filme de Condon, afirmando que é "mentira em cima de mentira", mas Condon explicou que estes comentários foram baseados em um roteiro inicial, "que realmente tem pouca semelhança com o filme que fizemos". Cumberbatch acrescentou: "Eu não queria personificar Julian, mas interpretá-lo".

Os integrantes do elenco, ao falar sobre a preparação para seus respectivos papéis, disseram que eram, em grande, analfabetos em informática antes das filmagens. "Felizmente meu irmão é um cara de TI, porque não sei nada sobre computadores", afirmou o ator Daniel Bruhl, que interpreta o confidente de Assange Daniel Domscheit-Berg.

"Quando eu conheci o Daniel (Domscheit-Berg), ele disse que provavelmente levaria apenas cinco minutos para entrar no meu computador e (ter acesso a) todas as minhas informações, então eu mudei as minhas senhas e agora não me lembro delas", brincou.

Assista ao trailer de 'O quinto poder':
 
 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA