Netflix aposta no Brasil e investe R$ 350 milhões em conteúdo local

Plataforma de streaming anuncia que vai apoiar criadores brasileiros. 'Sintonia', assinada por KondZilla, é a segunda série da empresa mais assistida no país.

Estado de Minas 05/11/2019 08:00
Rafael Morse/divulgação
KondZilla (D) no set da série Sintonia, sucesso da Netflix no país (foto: Rafael Morse/divulgação)

O serviço de streaming Netflix vai investir R$ 350 milhões em produções originais brasileiras ao longo de 2020. O anúncio foi feito por Greg Peters, diretor global de produto da empresa, em palestra na Futurecom, feira de telecomunicações e tecnologia realizada em São Paulo.

Os recursos serão investidos em novas séries e temporadas de títulos já existentes, bem como filmes e documentários – cerca de 30 produções entre 2019 e 2020. O diretor da Netflix reafirmou a importância de motivar os criadores de conteúdo locais, citando casos como os de KondZilla, à frente de Sintonia, que estreou em agosto. “É nosso segundo programa brasileiro mais popular”, lembrou. “Isso não se faz com criadores separados numa sala, no escritório em uma cidade distante, mas com a vida local.”

A atividade também movimenta a economia local. Desde que começou a produzir conteúdo no país, em 2016, a Netflix ajudou a gerar 40 mil empregos, entre vagas diretas e indiretas. Greg Peters lembrou o esforço da empresa para oferecer conteúdo para ser consumido em qualquer país. De acordo com ele, os lançamentos da Netflix chegam ao serviço aptos a serem assistidos em 30 línguas diferentes, com legendas e dublagens.

“Recentemente, adicionamos húngaro, tcheco e vietnamita. Queremos que cada vez mais pessoas do mundo todo tenham acesso a grandes histórias. Para nós, a arte pode ajudar a reduzir o preconceito", informou Greg Peters. (Estadão Conteúdo)

Brasileiros aprovam séries e filmes internacionais da Netflix

Taylor/divulgação
Asa Butterfield e Gillian Anderson na série inglesa 'Sex education' Sam (foto: Taylor/divulgação )


A Netflix divulgou as cinco séries internacionais preferidas do público brasileiro. O levantamento não inclui produções originais ligadas ao país nem as norte-americanas. A plataforma não informou números de público de cada produção. Explicou que, diariamente, 2 milhões de espectadores brasileiros assistem a séries e filmes internacionais na plataforma – aumento de 80% em relação a 2018.

O brasileiro tem “um gosto global por conteúdo”, afirma Maria Angela de Jesus, diretora de produções originais da Netflix no Brasil. “Ele se apaixona por boas histórias de diferentes gêneros sem se importar com a língua em que são faladas ou se vêm da Espanha, Inglaterra, Turquia ou da periferia de São Paulo”, diz.


Top 5


SEX EDUCATION
. Reino Unido
. Metade comédia, metade drama, acompanha Otis (Asa Butterfield), filho de uma terapeuta sexual, que decide seguir os passos da mãe e abre uma clínica clandestina na escola para atender colegas problemáticos.

THE END OF THE F***ING WORLD
. Reino Unido
. Adaptação dos quadrinhos de Charles Forsman. Comédia de humor controverso, acompanha a história de James (Alex Lawther), adolescente psicopata que foge de casa com Alyssa (Jessica Barden) para ter a chance de matá-la.

THE RAIN
. Dinamarca
. Dois jovens irmãos, Simone (Alba August) e Rasmus (Lucas Lynggaard Tonnesen), buscam sobreviver num mundo atingido por um vírus espalhado por meio da chuva.

DARK
. Alemanha
. Série acompanha quatro famílias da cidade de Widen, onde dois crimes idênticos ocorreram com 33 anos de diferença.

O ÚLTIMO GUARDIÃO
. Turquia
. A série acompanha Hakan, jovem lojista que vê a vida mudar quando descobre ter relações com uma ordem secreta e antiga que protege Istambul.