Especial sobre o Chacrinha vai ao ar hoje com participações de estrelas

Homenagem ao Velho Guerreiro também terá apresentadores da Globo e convidados como Ney Matogrosso, Sidney Magal, Anitta e Fábio Jr.

por Helvécio Carlos 26/08/2017 11:30
DIVULGAÇÃO
(foto: DIVULGAÇÃO)

Rio de Janeiro - Abelardo Barbosa continua com tudo e não está prosa. Nos dias que antecedem seu centenário de nascimento, o Velho Guerreiro ganha homenagens não apenas na TV, a área que dominou como apresentador do Cassino do Chacrinha. No dia 30 de setembro, a Casa da Moeda lança medalha em reverência ao autor de bordões como “quem não se comunica se trumbica”. Os colecionadores devem ficar de olho no selo, já os fãs certamente ficarão de olhos grudados na telinha do Canal Viva, que exibe hoje às 19h o especial Chacrinha, o eterno Guerreiro, com reprise amanhã, às 12h30; segunda-feira, às 21h30, e quarta-feira, às 16h15. Em duas semanas, o especial ganha exibição na Rede Globo.

“Chacrinha é um personagem absolutamente fundamental na história da TV brasileira, que não poderia passar sem essa festa”, afirma o diretor artístico Rafael Dragaud. No entanto, Dragaud diz que, dada a dificuldade de conciliar agendas dos artistas envolvidos no projeto, não há chance de o programa ganhar novas edições como ocorreu com a Escolinha do professor Raimundo. “Além dos cantores, havia também os artistas da casa. Foi difícil, mas, bem ou mal, estamos acostumados a essas loucuras, essas aventuras”, lembra, bem-humorada, Daniela Gleiser, que assina a direção-geral do programa. Se a produção precisou rebolar para dar conta do recado, no estúdio o clima foi de festa. “O homenageado é uma figura potente, importante na história e esse clima não poderia ser diferente”, observa Daniela.

Chacrinha sem jurados e chacretes não tem graça. No especial, eles estão lá, mas sem tanto charme como os seus antecessores. A bancada reúne Angélica, que caprichou no look, e o marido, Luciano Huck, além de Fernanda Lima, André Marques, Ana Maria Braga, Gloria Maria, Tiago Leifert, Regina Casé. Eles tentam fazer referências aos tipos que marcaram a história do Cassino, uma gracinha ou outra, mas não soou muito natural.

APROPRIAÇÃO Impossível mesmo é desgrudar os olhos do Chacrinha interpretado pelo ator Stepan Nercessian, uma escolha tão óbvia quanto acertada, dado o sucesso que o ator fez no teatro com o musical contando a história do Velho Guerreiro. “Ele se apropriou com rapidez do Chacrinha e, em cena, colocou coisas que não estavam escritas, mas que eram próprias da personagem. A peça tinha o momento de auditório também”, recorda o diretor.

Stepan conta que voltar ao personagem foi ainda mais emocionante. “Foi um impacto muito grande estar na casa dele – ali, na televisão, pude ter a certeza de como Chacrinha sempre foi genial. Como ele tinha um domínio absoluto da técnica da TV”, diz o ator que, em setembro, deverá voltar a circular pelo país com o musical que fez sucesso. Belo Horizonte faz parte da turnê, com duas sessões previstas para 14 e 15 de outubro, no Palácio das Artes. Ainda este ano, Stepan representará o Velho Guerreiro numa cinebiografia dirigida por Andrucha Waddington, com roteiro de Claudio Paiva. “Agora só falta um programa de rádio”, brinca o ator.

Os números musicais se dividem entre atrações como Ney Matogrosso, Sidney Magal, Roberto Carlos, Fábio Júnior e Luiz Caldas, que passaram pelo palco do Cassino, programa exibido nas tardes de sábado dos anos 1980. Foram convidados também músicos de gerações mais recentes como Luan Santana, Anitta, Marília Mendonça e Ivete Sangalo. “A ideia foi fazer um Chacrinha de todos os tempos e não uma coisa datada”, afirma Dragaud.

Os melhores momentos estão justamente com a performance da “velha geração”. Rever ídolos perfeccionistas como Ney Matogrosso encarando um playback, recurso característico do programa, não tem preço. “Ele viveu aquela época daquela forma e pediu para cantar assim”, diz Dragaud, lembrando que, além de Ney, Sidney Magal, Luiz Caldas e Angélica encararam numa boa cantar em cima das próprias vozes. Fábio Jr. comove a plateia – e certamente comoverá também o público – com a transmissão em telão de uma de suas apresentações nos anos 1980, quando era galã tanto das novelas quanto da música brasileira.

Humor com aquele toque trash não escapa do programa com um concurso do melhor imitador de... Chacrinha. No quadro que reuniu Marcelo Adnet, Marcius Melhem, Welder Rodrigues, Tom Cavalcante e Otaviano Costa, os atores e comediantes não seguiram à risca o roteiro e garantiram algumas boas risadas. “Está muito ruim”, detonou o “jurado” Tiago Leifert. “Um perdeu o tom, o resto foi junto”, justifica Dragaud, mostrando que o elenco se deixou levar pelo improviso.

Chacrinha, o eterno Guerreiro
• Estreia hoje, às 19h
• No Canal Viva

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SERIES-E-TV