Melhor amigo delas: aplicativo ajuda no acompanhamento de mulheres com câncer de mama

App Rosa é uma ferramenta poderosa de auxílio na luta contra a doença

por Joana Gontijo 16/10/2018 14:06
App Rosa/Divulgação
(foto: App Rosa/Divulgação)

Cerca de 12 mil mulheres morrem anualmente em decorrência do câncer de mama no país, o mais recorrente entre as brasileiras. Este índice representa 2,5% dos óbitos femininos em nível nacional. O motivo mais significativo para complicações por esse tipo de tumor é o diagnóstico tardio. Se percebido cedo, entre 90% e 95% dos casos há possibilidade de cura, sendo que 90% das ocorrências da doença não estão ligadas a características genéticas.

No momento em que se institui a campanha Outubro Rosa, de conscientização sobre o mal, chega às pacientes uma ferramenta poderosa para auxílio na luta contra o câncer de mama. Trata-se do App Rosa, concebido pela farmacêutica Renata Alcântara, que tem expertise em saúde da mulher e especialização em gestão em saúde. O aplicativo se destina a dar suporte a mulheres no controle da patologia, com foco na prevenção e acompanhamento do câncer de mama.

O sistema é georreferenciado, mapeando para as usuárias os serviços disponíveis, além de alertar sobre remédios e horários de ministrá-los, exames e cuidados com a saúde, entre outros, principalmente porque a terapia de combate ao câncer é contínua a longo prazo. O app inclui lembretes acerca da realização de procedimentos como mamografia e ultrassom, aproveitando o sistema de geolocalização para identificar os lugares mais perto da casa da mulher para fazê-los, além de armazenar dados para as seguintes consultas. Ainda contém dicas de alimentação e vida saudável, reforça a importância do diagnóstico precoce e do autoexame.

App Rosa/Divulgação
(foto: App Rosa/Divulgação)

A funcionalidade do App Rosa é extremamente simples. A interessada faz o download pelo celular e, na sequência, cadastra alguns dados sobre sua saúde e começa a receber o conteúdo. Na situação da paciente que possui alguma dúvida, ela pode fazer questionamentos a um robô, nomeado Rosa, que responde em tempo real, humanizando a relação da pessoa com a tecnologia.

App Rosa/Divulgação
(foto: App Rosa/Divulgação)

Renata Alcântara tem experiência na área da saúde, essencialmente na esfera pública. A convivência com mulheres em projetos de controle ao câncer de mama foi, para ela, algo muto rico e, profissionalmente, o que mais gostou de fazer, em suas palavras. Depois de uma pausa com a gravidez e os primeiros dois anos de dedicação ao filho, a farmacêutica começou a imaginar como poderia retomar o contato com essas mulheres e contribuir. Em conjunto com o marido, analista de sistemas, deu o pontapé inicial para desenhar e construir o aplicativo. "A ideia da plataforma digital é ser um benefício para quem luta contra a enfermidade, de apoio e ajuda, sem contar que reforça a noção de empoderamento feminino".

App Rosa/Divulgação
(foto: App Rosa/Divulgação)
Rosa é um chatbot, ou seja, um software que dialoga com a paciente na hora, de maneira amigável, e é capaz de conhecê-la cada vez mais, pelo percurso que a mulher vai trilhando ao recorrer ao aplicativo, o que resulta em uma personalização do cuidado com sua saúde. O processo é completamente independente da ação humana. Depois que a pessoa baixa o aplicativo, ele faz, de forma automática, a primeira interação com a usuária, convidando-a literalmente à conversa, com uma linguagem natural. O App Rosa garante o protagonismo da mulher na atenção à sua sáude. Está disponível para download gratuito nas versões iOS e Android e será lançado na próxima sexta-feira, dia 19, em Belo Horizonte.

"Não são só os alertas. Rosa analisa os resultados de exames, traça a melhor conduta a seguir, acompanha a história da mulher. Mesmo sendo em português e desenvolvido no país, o aplicativo tem potencial de alcance mundial", diz Renata. O mecanismo é aliado para vencer dificuldades, complementa, e isso vai além do mês dedicado à atenção sobre a doença. "Há dez anos, a forma de encarar o câncer de mama era muito diferente e limitada. O câncer pode ser amenizado, até curado, mas mata se a mulher não se cuidar. Com o App Rosa, pretendemos ter uma boa repercussão e ajudar as pessoas, não só no Outubro Rosa, mas no ano inteiro", reforça a profissional.