Programação Neurolinguística (PNL) ajuda as pessoas a se conhecerem melhor

Técnica é capaz de ressignificar pensamentos e emoções para enfrentar as dificuldades do dia a dia

por José Alberto Rodrigues 10/04/2018 11:00
Reprodução/Internet/gdetraffic.com
(foto: Reprodução/Internet/gdetraffic.com)

"Caixa de ferramentas" ou "manual do proprietário". Assim, de forma simplificada, o fundador da Sociedade Brasileira de Programação Neurolinguística (SBPNL), Gilberto Cury, explica como funciona o método. “Afinal, não nascemos com um manual, para que possamos consultar, tirar nossas dúvidas e nos conhecer melhor. A PNL ajuda as pessoas a se conhecerem melhor, se entender melhor, a interagir melhor com os outros, a se tornar mais competentes e a lidar melhor com as dificuldades do dia a dia.”

Em meio a pesquisas, iniciadas em meados dos anos 70, descobriu-se que, por trás dos nossos comportamentos existe uma estrutura interna de pensamentos e emoções que impactam diretamente as nossas ações e consequentemente os resultados que alcançamos em nossas vidas. Com a aplicação da PNL, diversos profissionais puderam compreender melhor o funcionamento interno dos pensamentos e identificar modelos e segmentos mentais, para que os pacientes possam questioná-los, refletir sobre os mesmos e se é preciso ressignificá-los. “Para a programação, por trás de toda ação existe uma razão, um motivo para agir. Ou seja, se o profissional busca gerar uma mudança no comportamento de uma pessoa, ou seja, na sua atuação, precisa compreender primeiramente o motivo da pessoa agir da forma que age e o modelo de mundo dessa pessoa.”

Gilberto Brant/Arquivo Pessoal
"Na realidade, o corpo é capaz de gerar todos os remédios dos quais necessitamos, por isso as emoções regeneradoras têm esse efeito. Ajudam o corpo, a mente e o coração a gerar os remédios de que necessitamos" - Gilberto Cury, fundador da SBPBL (foto: Gilberto Brant/Arquivo Pessoal )
Gilberto Cury ressalta que corpo e mente não são separados, como estamos acostumados a entendê-los e que essa dicotomia é meramente didática. “Partindo desse princípio, observa-se que tudo que acontece na mente influi no corpo e vice-versa, como num sistema fechado e cíclico. A PNL ajuda o ser humano a se conhecer mais, e entender que quando temos pensamentos, sejam eles quais forem, somos influenciados diretamente no funcionamento do nosso corpo, seja para melhor ou para pior”, destaca.

A PNL ajuda no processo de autoconhecimento e no reconhecimento do que gera em cada um de nós, emoções/pensamentos desgastantes e regeneradores, permitindo que tenhamos domínio de nossos sentimentos e possamos identificá-los e decidir como lidar com cada situação e com cada sentimento gerado.

“Na realidade, o corpo é capaz de gerar todos os remédios dos quais necessitamos, por isso as emoções regeneradoras têm esse efeito. Ajudam o corpo, a mente e o coração a gerar os remédios de que necessitamos”, destaca Gilberto. Segundo a SBPNL, está científica e estatisticamente comprovado que pessoas que têm mais emoções regeneradoras vivem melhor, são mais saudáveis, ficam menos irritadas, menos cansadas, menos deprimidas. Diminuindo problemas como a taquicardia, dor de cabeça, dores no corpo, e tenham noites de sono mais bem-dormidas, por exemplo. “Já, quando se vivem emoções desgastantes, o corpo diminui a produção dessa química, fazendo com que os problemas comecem a ocorrer e o sistema comece a se degradar, ou seja, o corpo começa a apresentar problemas”, afirma.

EXPERIÊNCIA

A psicóloga, psicanalista e coach Regina Oliveira conta que estava buscando novas técnicas eficazes para aprimorar os atendimentos em seu consultório quando descobriu a programação neurolinguística e passou a incorporá-la como apoio em suas consultas “A PNL tem ferramentas fantásticas para o desenvolvimento humano e a programação mental para auxiliar na vida dos pacientes. Fui percebendo que essa programação tinha resultados efetivos na mudança de comportamentos mentais e rápidos resultados na prática. São ferramentas acessíveis, práticas e rápidas”, comenta a psicóloga.

Edésio Ferreira/EM/D.A Press
"Fui percebendo que essa programação tinha resultados efetivos na mudança de comportamentos mentais e rápidos resultados na prática. São ferramentas acessíveis, práticas e rápidas" - Regina Oliveira, psicóloga e coach (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)

Regina Oliveira conta que as aplicações de PNL buscam mudança na qualidade de vida e na plenitude dos pensamentos cotidianos. “Esses recursos para lidar com a mente promovem saúde mental e bem-estar. Fazer com que as pessoas pensem na forma que agem e interagem no mundo, e como tomar posse da mente para evitar as cargas negativas e encontrar um caminho internamente. A PNL ensina como lidar com a mente.”

Regina Oliveira vai realizar este mês, em Belo Horizonte, um curso de PNL - Programação Neurolinguística destinado a todos aqueles que, segundo ela, desejam acessar estados de saúde (emocional e física), harmonia e paz com recursos da mente. “Estamos realizando esse trabalho desde o ano passado com resultados nas vidas das pessoas bem significativos: diminuição de remédios controlados, eliminação da síndrome do pânico, além de possibilitar a expansão da consciência e a evolução do ser.”

FOCO

Marli Medeiros, coordenadora da Organização Brahma Kumaris em Minas Gerais e coach essencial, conta que coloca em prática o estudo da PNL em suas sessões de meditação, e que, como coach, a programação neurolinguística tem ajudado nessa reorganização do pensamento negativo do cotidiano em vibrações positivas para a busca da solução e a ter foco. “A meditação é uma importante ferramenta para o foco dos pensamentos. A PNL ajuda a identificar esses vícios de pensamentos negativos, que acabam se tornando hábito, e a programar um novo foco de pensamento. Com a meditação, é possível não dar atenção aos pensamentos negativos e saber que a mente é capaz de criar pensamentos positivos dentro da realidade. Ver possibilidades e resgatar a energia positiva, ajudando na programação.”

Além disso, a coordenadora da Brahma Kumaris em Minas ressalta que, para um resultado efetivo, é necessário estar em contato com a mente. “O ‘eu quero, eu posso, eu acredito’ é efêmero ou dura pouco se não resgatar uma força interior. É preciso um processo contínuo. Quando temos confiança nisso, o pensamento se torna mais forte que os agentes externos”, pontua Marli.

A meditação integrada à PNL é um ótimo ponto para estabelecer um planejamento e alcançar o que se pretende tendo foco no pensamento. “Qual o foco desse pensamento? É importante discernir o nível de pensamento, ao receber uma notícia negativa, ser capaz de parar e observar e encontrar uma solução em meio ao negativo. Pensar de maneira mais elevada e visualizar um nível no qual é possível decidir”, esclarece Marli.

* Estagiário sob a supervisão da editora Teresa Caram

Serviço
Curso de PNL - Programação Neurolinguística
Dias 14 e 15 de abril
Endereço: Quantum Terapia - Rua Dominicanos, 165, sala 401, Serra
Informações: Atellier Humano - www.atellierhumano.blogspot.com

VÍDEOS RECOMENDADOS