[an error occurred while processing this directive] Artistas de funk são convidados ao Senado para debater proposta de criminalização

Artistas de funk são convidados ao Senado para debater proposta de criminalização

Anitta, Nego do Borel, Valesca Popozuda e Tati Quebra Barraco são algumas das figuras convidadas pelo senador Romário Faria

por Estado de Minas 22/06/2017 13:15
YouTube/Reprodução
Nego do Borel e Anitta estão entre os convidados do senador Romário Faria. (foto: YouTube/Reprodução)
O senador Romário Faria (PSB-RJ) anunciou nesta quinta-feira, 22, por meio de uma postagem no Facebook, que será realizada uma audiência pública sobre a Sugestão Legislativa que propõe a criminalização do funk

No post, o senador revela que convidou vários artistas representantes do gênero, como Anitta, Nego do Borel, Valesca Popozuda e Tati Quebra Barraco. Outros convidados incluem os antropólogos Hermano Vianna (autor do livro O mundo Funk Carioca) e Mylene Mizhari (A estética do Funk Carioca). Marcelo Alonso, autor da proposta, também deve participar da deliberação. 

''Eu, como um carioca nato e um eterno funqueiro, sou totalmente contra essa proposta'', escreveu Romário. ''Como disse a presidente da comissão, senadora Regina Sousa, o funk começou no Rio de Janeiro, mas ganhou o Brasil, se tornando mais um ritmo musical que expressa a identidade de uma grande parcela da população''. 

Na proposta protocolada por Marcelo Alonso, o funk seria considerado crime de saúde pública. ''Os chamados bailes de 'pancadões' são somente um recrutamento organizado nas redes sociais por e para atender criminosos, estupradores e pedófilos a prática de crime contra a criança e o menor adolescente'', diz a proposta. 
 
A sugestão recebeu 22 mil assinaturas. Atualmente, ela está na Comissão de Direitos Humanos do Senado e precisa passar por ela para se tornar um projeto de lei. Em consulta pública online, a proposta conseguiu 14 mil votos a favor. 

A funkeira Anitta está entre os artistas que se manifestaram contrários à proposta. Pelo Twitter ela escreveu: ''Se o conteúdo das letras ou das festas não agradam é porque cresceram vendo e vivendo aquilo que cantam. Deem acesso a outros assuntos e cantarão sobre eles. Traduzirão as músicas de outros idiomas pra proibir as que não tem mensagens que agradam aos cultos ou é só uma discriminação mais direcionada?''
 
 

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']

MAIS SOBRE MUSICA