Na trilha do Clube da Esquina, Músicas do Espinhaço lança o terceiro CD

Grupo apresenta repertório de 'Janelas', nesta sexta-feira, no Cine Theatro Vallourec

por Walter Sebastião 14/02/2014 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Filipe Thomaz/divulgação
(foto: Filipe Thomaz/divulgação)
Desde os 16 anos, Bernardo Puhler, de 31, cultiva o hábito de fazer longas caminhadas. Ele andou por 15 dias em lugares ao redor de Belo Horizonte. O músico explica que essa vivência acaba sendo motivo de suas canções. Nos últimos sete anos, Puhler reuniu pessoas que gostavam do que ele fazia. Assim surgiu o grupo Músicas do Espinhaço, que se propõe a interpretar poeticamente aspectos culturais, sociais e ambientais da Serra do Espinhaço, região que se estende de Minas Gerais até a Bahia. A jornada rendeu dois discos: 'Encontro das cordilheiras' (2010) e 'Jardim do mundo' (2011).


“Nosso projeto é trabalhar no intervalo entre o jazz e o regional”, explica Bernardo. Hoje à noite, o grupo vai lançar o terceiro disco, 'Janelas', no Cine Theatro Brasil Vallourec. Com frescor e beleza dignos de nota, o repertório reinventa o rock progressivo dos primeiros tempos do Clube da Esquina. O show terá canções dos três CDs.

Faixa do novo trabalho, 'Seu Zué' se inspira na história real do homem que optou por não ter energia elétrica em casa para não derrubar um coqueiro. 'Mão do sol' é canção engajada: fala de acreditar no sonho, no movimento para a criação do Parque Nacional do Gandarela, na Região Central de Minas Gerais. 'Perereca de pijama', dedicada ao público infantil, descreve animais da Serra do Espinhaço, enquanto 'Cabeça de boi' homenageia moradores do vilarejo homônimo.

 “Traduzimos de maneira lúdica os elementos de informação que encontramos em vários ambientes. É mais vivência do que pesquisa”, explica Bernardo Puhler. Ele continua viajando e visitando a região da Serra do Espinhaço, levando os amigos e apresentando canções nas cidades que as inspiraram. Anualmente, a turma faz um show no alto de uma montanha. “Pulamos no abismo da natureza. A superpopulação trouxe muita pressão e transtorno às cidades. Quem mora em local pequeno e caminha 10 minutos para chegar em casa tem vida melhor do que aqueles que passam duas horas dentro de um automóvel”, compara Puhler.

Dissonâncias

Para o compositor, Músicas do Espinhaço dá continuidade à estética do Clube da Esquina. “Também nos valemos do estranhamento causado pela dissonância que existe na música do Clube, fazendo com que ela soe diferente e original”, observa.

Fundador do movimento musical ao lado de Milton Nascimento, Márcio Borges é um dos parceiros do Músicas do Espinhaço. Flávio Venturini está entre os amigos próximos. O grupo já se apresentou com Lô Borges. A banda reúne Bernardo Puhler (voz, violão e piano), Matheus Felix (violino e bandolim), Gustavo Campos (percussão), Zé Mauro (baixo e voz) e Rafael Furst (bateria e viola caipira).

JANELAS
Lançamento do terceiro disco do grupo Músicas do Espinhaço. Sexta, às 21h. Cine Theatro Brasil Vallourec, Praça Sete, Avenida Amazonas, 315, Centro. Ingressos: R$ 16 (inteira) e R$ 8 (meia-entrada). O CD será vendido a R$ 35.

Erro ao renderizar o portlet: 0000 - Main - Vitrine

Erro: 

MAIS SOBRE MÚSICA